27 de fev de 2008

DEUS SALVE A RAINHA E DEPORTE OS BRASILEIROS

4.985 brasileiros foram impedidos de entrar no Reino Unido, em 2006, pela simples razão de o oficial britânico de alfândega de Londres não ter ido com a cara do passageiro. Isso mesmo! Apesar da não exigência de visto de entrada, 3 de cada 100 brasileiros que desembarcam na capital inglesa são deportados.
Além, é claro, da humilhação a que são submetidos pelo todo-poderoso serviço de imigração da rainha. São feitas dezenas de perguntas, exigidos documentos que "provam" que o passageiro não está chegando para morar, deve-se mostrar a quantidade de dinheiro no bolso, cartões de crédito, voucher de hotel, passagem de volta ... e, não satisfeito, o guardinha tem poderes quase que imperiais para dizer: volta para o lugar de onde veio. Você não será aceito no país do palácio de Westminster! Go back!
Quase nunca é possível recorrer da decisão, que depende de um caboclo que nem sabe onde fica o Brasil, que pensa que somos seus inimigos e que tem certeza de estar fazendo a coisa certa.
De repente, como sugere Elio Gaspari em sua coluna da Folha, seria o momento de sermos recíprocos (clique aqui para ler o artigo, só para assinantes uol) e começarmos a deportar ingleses e espanhóis que chegam ao Brasil diariamente, na mesma proporção. Quem sabe a rainha da Inglaterra e o rei da Espanha passassem a desconfiar que alguma coisa anda errada. É só ver a quantidade de turistas que visitam o Brasil em busca de sexo fácil com adolescentes ou, até, crianças. Pensando bem, melhor que deportá-los é botar essa gente em cana mesmo.
Depois eles fazem cara de ingênuo quando sofrem atentados terroristas. Por quê será que eles tem tantos inimigos?

22 de fev de 2008

A DÍVIDA EXTERNA JÁ ERA.


O anúncio do Banco Central de que o país possui mais reservas liquidas em moeda estrangeira do que o total dos débitos externos – público e privado – foi uma das melhores notícias produzidas pelo governo Lula. Aliás, ainda em 2006, as reservas eram suficientes para liquidar toda a parte pública da montanha de dívida.

No passado recente, os movimentos sindicais e os partidos de esquerda, todos, gritavam contra a dívida externa; pediam moratória já!

Hoje, o BC demonstrou ter capacidade de enfrentar o monstro da dependência externa – FMI, Banco Mundial, Clube de Paris, etc., que eram os que ditavam as regras da economia até pouquíssimo tempo atrás. Hoje, alcançamos credibilidade internacional graças à política econômica implantada desde o primeiro mandato do PT, que difere, e muito, da política econômica do PSDB-PFL. Eles, com seus papas liberais, privatizaram tudo e não deram muita bola ao Brasil; o BNDES serviu ao governo tucano para sanear as estatais privatizáveis, enquanto hoje, serve para financiar a produção e, consequentemente, a distribuição de renda.
O micro crédito, outra novidade do governo Lula, criada por Pallocci, é o grande incentivador de micro empreendimentos no interior mais pobre do Brasil. Se mais gente está comprando, mais as indústrias produzem e mais o comércio vende. Isso faz girar a economia e, assim, todos crescem. E não somente uma meia dúzia de amigos do Rei! (Você já se perguntou porquê você não comprou a Vale, se não era preciso dinheiro para comprar? O próprio governo tratou de emprestar a bufunfa para os amiguinhos do trator Sérgio Motta!)
E já que falei em privatização: não era essa a desculpa para a solução do imenso déficit das contas internas, que tudo que era público dava prejuízo? Pois é! FHC e sua quadrilha privatizou tudo o que viu pela frente e a dívida interna cresceu DEZ VEZES nos seus 2 mandatos!!!
Agora querem que o Lula, com a desculpa dos bons ventos internacionais, descasque também esse pepino. Não adianta o vento lá fora soprar a favor se não se sabe como domá-lo... e nem anda tão bem a economia lá fora, é que passamos pela turbulência quase sem sentí-la por causa da política econômica do PT.

19 de fev de 2008

FIDEL CASTRO: UM MITO


Fidel Castro renunciou à presidência de Cuba depois de quase meia década de incessante dedicação àquela ilha. Tanta, que sua saúde debilitada o obrigou a renunciar. É o começo do fim de Cuba que, depois da luta de Castro e ‘Che’ Guevara para derrubar a ditadura de Fulgêncio Batista, em 1959, corre o risco de voltar a ser o quintal dos Estados Unidos. No final da década de 50 os americanos classe média costumavam freqüentar os cassinos e prostíbulos de Cuba, a pouco mais de 100 km de Miami, até serem expulsos pela coragem e dedicação do povo cubano.
.
“Não me despeço de vocês. Desejo apenas combater como soldado das idéias. (...) Talvez minha voz seja ouvida. Serei cuidadoso.” Ele escreveu no discurso da renúncia.
.
Sua voz será sempre ouvida; será sempre lembrado como o Libertador da América, como San Martin e Simon Bolívar. Fidel Castro está na história da humanidade como o revolucionário que transformou um punhado de camponeses e prostitutas analfabetos em médicos, engenheiros, cientistas, professores, etc., graças ao árduo enfrentamento ao bloqueio econômico imposto pelos EUA desde o início dos anos 60.
O episódio da tentativa de invasão de Cuba pela baía dos porcos, ainda no governo Kennedy, e a heróica resistência de seu exército destreinado, faminto e sem armas, foi o marco do poder que o povo possui; resistiram até derrotar as tropas de marines americanos que desembarcaram na ilha com a única finalidade de conquistar sua independência dos EUA. Porisso chamam o governo americano de imperialista.

A renúncia de Fidel Castro, para mim, representa sua morte; a influência que porventura ainda tenha, na voz de Raúl, seu irmão, certamente não será suficiente para manter unido o povo cubano. Eles se deixarão seduzir pelo apelo capitalista que a América impõe – apesar de a mídia ocidental só tratar dos dissidentes, balseiros e presos políticos, a grande maioria do povo cubano é solidária ao regime comunista. No Brasil, por exemplo, centenas de jovens são mortos na fronteira americana levados por coiotes que tentam atravessá-los e nem por isso somos tratados como tratam o regime cubano.
Boa sorte, Cuba!
Como diz Oscar Niemeyer:
É PRECISO SER CONSEQUENTE ATÉ O FINAL!

13 de fev de 2008

JORNAL NACIONAL FAZ CAMPANHA PARA JOSÉ SERRA



O Jornal Nacional de 11/02/2008 fez uma matéria de 02:19 minutos à respeito dos cartões corporativos do governo do Estado de São Paulo (clique aqui e veja o vídeo do JN) . William Bonner aparece em close recitando o texto que tenta, a todo custo, isentar o governador José Serra - candidato preferido da rede Globo às eleições a presidente de 2010 - no caso dos gastos do governo com cartões.

Fala que, diferente do caso do governo Lula, os cartões do Serra são de débito, e não de crédito ... sei, sei ... que diferença ... Mostra o Serra numa entrevista falando do assunto; diz que não tem nenhuma irregularidade nos mais de 108 milhões de Reais gastos por funcionários públicos .. sei, sei ... nada de irregular ... Diz que mais da metade da bufunfa foi de saques em dinheiro, mas não saques em dinheiro simplesmente, foram transferências bancárias ... sei, sei ... que coisa, foi mais dinheiro que todos os gastos com cartão de crédito do governo federal.

A parcialidade do JN é cada dia mais explícita. Melhor seriam os editores de jornalismo da empresa dos Marinho assumirem, publicamente, ser oposição ao Lula por ser um cabra semi-analfabeto e nordestino! Nos Estados Unidos é assim: todo mundo sabe que o Bush, por exemplo, manda ligar pra Fox News e pra CNN e manda tirar do ar notícias que o desagradam. O editor-chefe do JN, Ali Kamel, seria mais decente se assumisse sua preferência pelo PSDB.

11 de fev de 2008

SÃO PAULO DA GAROA



Em São Paulo existe uma lei municipal que proíbe faixas, cartazes e out-doors nas ruas do município; esta lei foi criada pelo então prefeito José Serra - hoje governador, e presidente da república preferido da classe média-branca-burguesa da cidade. O atual prefeito, de nome Gilberto Kassab, vice de Serra, do DEM, está dando uma demonstração de total desrespeito à população. Permitiu uma faixa (foto acima) onde seu nome aparece em letras grandes, divulgando um suposto encontro político com um vereador. Como se isso possa interessar a alguém ... É a campanha à reeleição em andamento, à custa de falta de respeito e vergonha na cara.

O que o paulistano diz agora? Elegeram esse cidadão junto a José Serra - na aliança PSDB+PFL - que agora é governador e deixou a cidade nas mãos desse sujeito ... O que diz agora o Serra? Provavelmente não dirá nada, como fez com a questão do buraco do metrô ... até hoje não se leu ou se ouviu uma frase sequer a respeito! Foram 8 mortos numa tragédia absurda que até hoje não foi explicada. Já faz mais de uma ano e nada aconteceu.

A maior cidade do Brasil não merece isso. O paulistano não merece isso. Ou será que merece?