27 de jan de 2009

RECESSO

O blog estará em recesso até o próximo dia 02 de fevereiro, dia de Yemanjá.
Por motivos profissionais, estarei ausente, num local de difícil acesso à internet.
Até breve!
***

23 de jan de 2009

PSDB e o Rei do Brasil

Começou a briga. De cachorro grande.

O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE) disse ao governador de Minas, Aécio Neves, que a cúpula prefere José Serra como candidato a presidência da República em 2010.

O Folha Online informa que o argumento principal é o agravamento da crise internacional, e que, portanto, a cúpula (leia-se FHC) acredita que o Coroné José Serra, que é o responsável pela morte da adolescente Eloá Cristina no episódio do sequestro em Santo André, em 2008, esteja mais preparado para derrotar o(a) candidato(a) de Lula.

A reportagem menciona, ainda, que Guerra teria dito que o PSDB quer um acordo para evitar prévias, pedidas por Aécio, unindo o partido em torno do Coroné Serra.

E mais: pretendem propor o fim da reeleição e mandato presidencial de 5 anos, para Aécio poder concorrer em 2015 ...

A reportagem apurou que Aécio reagiu mal. Disse que ainda está no jogo e que vai sair por aí tentando viabilizar as prévias no partido.

Então é assim que se faz democracia no ninho tucano.
Um iluminado, com o olhar voltado para as reminiscências distantes, gregas, romanas ou egípcias, como o Farol de Alexandria, decide quem será coroado o Rei do Brasil, e os súditos se ajoelham diante de tamanha sabedoria.

Mas, como diria o sábio popular chamado Mané Garrincha, tem que combinar com o adversário!
E mais. Tem que combinar com o povo, que é aquele que tem o real poder de decidir.
***

Enquanto isso, no Planalto, o governo de Lula, do PT, está trabalhando para atenuar os efeitos da crise e firmar, definitivamente, seu nome na história do Brasil.
E não adianta a mídia mais comprometida do planeta insistir que a crise é séria. Ela só é séria nos países desenvolvidos que abusaram do sistema financeiro. O Brasil é o melhor preparado para derrotar a onda de pessimismo.

Só para deixar clara a posição deste blog: O Brasil crescerá, em 2009, mais que o crescimento médio do mundo!
***

19 de jan de 2009

PLIM-PLIM ... É FANTÁSTICO!




Recomeça a onda de fracassos gerada pela Rede Globo.
2009 nem bem começou, e vê-se que os editores dos jornais da emissora não pretendem esperar pelo Carnaval. Querem logo mostrar as filas intermináveis do desemprego no Brasil.

Quem é o culpado?
Luis Inácio Lula da Silva!
Eleito o presidente a ser derrubado pela mídia mais comprometida do planeta.

Neste domingo, a onda de terrorismo global continuou no Fantástico (programa, aliás, que perde audiência a cada semana).
Falaram das demissões em massa nas indústrias automobilísticas de São Paulo. Mostraram desempregados nas filas que dobraram de tamanho.

Chegam ao absurdo de classificar a crise brasileira como catastrófica. O que era para ser marolinha, virou tsunami!, diz o locutor da matéria.

Tsunami?
Onde, aqui no Brasil?
Esqueceram de dizer que os demitidos da indústria de automóveis eram temporários, contratados nesta condição, para serem efetivados, ou não, ao final do prazo estabelecido.
Aí, mostram um sujeito demitido, pai de família, com lágrima nos olhos, inseguro quanto a seu futuro.
É, realmente, uma cena triste, mostrada no horário nobre do domingo, que será triste em qualquer circunstância da vida de uma pessoa.
Mas, usar essas imagens e textos para fazer terrorismo?
Não sabem, então, que a onda de demissões é localizada em algumas indústrias, de automóveis, principalmente, e que esta época do ano a venda de carros despenca?
Então não sabem, os editores do Fantástico, que países desenvolvidos estão tendo terríveis problemas de desemprego, em nada parecido com o que está acontecendo por estas bandas?


Ou será que pretendem atingir a Ministra Dilma Rousseff, provavel candidata à Presidência da República, apoiada desde já por Luis Inácio Lula da Silva, com sérias e prováveis chances de vitória?

Porque, com Lula, quanto mais batem, mais sua popularidade aumenta.
Tanto, que está nos estratosféricos 81% de aprovação, apesar de todos os escândalos fabricados pela mídia, de toda a crise que assola o país, de todo o tsunami que arrasa a economia brasileira.
Deve ser porque a mídia mais comprometida do planeta já enxerga na Ministra Dilma um nome capaz de arrasar a candidatura do Coroné Zé Serra, aquele que manda e desmanda em São Paulo, a ponto de pedir à sua polícia que não atirasse no sequestrador Lindemberg, no caso do sequestro de Santo André, onde foi morta a adolescene Eloá Cristina, em 2008.


Ah, dirão uns analistas globais, como o Arnaldo Jabor, a esquerda brasileira apóia o ditador Hugo Chavez!
O que isso significa? A Rede Globo acha que tem o poder de decidir quem é o vilão da história na América do Sul?

Ô Jabor, ô mané, isso não é novela global, onde teus patrões decidem se o mocinho morre ou se fica louco!
Isso é vida real, e a canalhice de quem coloca a cara na TV para dizer mentiras, com objetivos inconfessáveis, é o maior crime que alguém pode cometer contra o povo brasileiro!

Chegou a hora da população esclarecida deste país dar um basta na falácia noticiosa da Rede Globo e de seus marionetes; as pessoas de bem deste país já não ligam para as mentiras que tentam caracterizar como verdades; os factóides terroristas só servem para qualificar cada vez melhor a presença de certos órgãos de imprensa neste país: não valem mais que um monte de lixo!

E, para não deixar nada vago, na minha opinião, população esclarecida brasileira é aquela que lê uma matéria, ouve uma notícia ou vê uma imagem, e a interpreta; é aquela parcela cada vez mais numerosa da sociedade brasileira que não acredita piamente em tudo que lhe é colocado à sua frente.
Ter o poder (e a paciência) de filtrar o que é verdade e o que é mentira é a melhor arma que possuimos para dizer aos Manés da mídia brasileira o quanto o poder é do povo!



***

18 de jan de 2009

ATENTADO AO PROTÓGENES

Tentaram assassinar Dr. Protógenes Queiróz.
Interesses conhecidos pretendem calar definitivamente o homem que sabe de muita coisa.
Queima de arquivo.

Vida longa à turma de Daniel Dantas, Gilmar Mendes e companhia, para que vejam o triunfo da verdade sobre a mentira.

Leia aqui o que o próprio delegado diz à respeito do atentado contra sua vida.

Delegado: há mais pessoas do seu lado do que sua imaginação pode supor!
***

13 de jan de 2009

ISRAEL

atualizado em 14/01/2009 às 16h00

O texto abaixo é do romancista francês Pierre Jourde, publicado no Riposte Laïque, jornal independente da França, que publica semanalmente L'EDITO DE CYRANO;
Seus editores são de esquerda e lutam por um país laico.
Acreditam que a influência da religião no Estado é nociva, e dela se originam os maiores males da humanidade.

Pode parecer estranho, mas enquanto o mundo todo clama por justiça na guerra entre Israel e o Hammas, eles revelam suas angústias contra ambos os lados; tanto o governo de Israel como os líderes do Hammas são de extrema direita, e "santificar" os palestinos, porque são minoria e mais fracos, é o mesmo que apoiar a guerra e suas consequências.

Nenhum dos lados está correto. Esta é a opinião deste blogueiro. Israel está usando força desproporcional, sim, porisso é tão terrorista quanto o Hammas, que se utiliza de táticas de guerrilha para matar, também, gente inocente, em ataques-surpresa.

O Sandálias condena os dois lados, e lamenta a ineficiência, subserviência e falta de caráter do único organismo internacional capaz de frear o derramamento de sangue no Oriente Médio, a ONU.

Eis o texto de Pierre Jourde (comunista e ateu):

"Israel, 20.000 km2, 7 milhões de habitantes, 5 milhões de judeus, é responsável pela infelicidade dos Árabes, de todos os Árabes, sejam Egípcios, Sudaneses ou Franceses.
Israel é a própria injustiça. Eliminá-los da face da terra, massacrando os judeus, apagaríamos as injustiças.
É bom sentir-se encorajado por uma ira justificada. É bom, aproveitar o prazer de bater e perseguir por uma causa nobre.
Porisso não se deve dizer ao "povo" que os 2 milhões de Árabes israelenses tem direito ao voto, elegendo seus deputados livremente.
Não diga a eles que Israel sustenta financeiramente a Palestina.
Não lhes conte que milhares de palestinos se tratam em hospitais israelenses.
Não diga que a Universidade Hebraica de Jerusalém está repleta de jovens muçulmanas que frequentam as aulas de véu.
Não lhes pergunte por onde passaram os milhares de judeus de Alexandria. Hoje, restam 30.
Não pergunte que fim levaram os judeus dos países árabes.
Não pergunte se eles têm direito a regressar, eles também.

Não pergunte a eles qual a sociedade mais racista, Israel ou Siria.
Não lhes diga que, se há muitos pró-Palestinos em Israel, ainda estamos esperando para ver alguém pró-Israel nos países árabes.
Não conte a eles que a admiração por Hitler não é rara nos países árabes; que quando se trata de ilustrar as diferenças culturais através de grandes textos, a Biblioteca de Alexandria escolheu expor, em nome do judaismo, o 'Protocolo de Sion'; que este antisemitismo é largamente disseminado nos países Árabes.

Não lhes conte que, do ponto de vista das liberdades, da Democracia e dos Direitos Humanos, não somente é mil vezes melhor ser árabe em Israel, que ser Árabe em um país Árabe.
Não lhes diga que Alain Soral, do 'Front Nacional', que os odeia tanto, foi manifestar seu apoio ao Hezbollah, que eles tanto admiram."

Meu comentário - Nada justifica as centenas de mortos nesta guerra. Nada. Mas é uma guerra, e, até onde sei, na guerra se matam pessoas.
Israel está cometendo um erro gravíssimo ao agir da forma terrorista como age neste exato instante; o Hammas não é o povo Palestino. É uma entidade terrorista.
Ambos estão se comportando como fanáticos, que o são. Precisam ser parados imediatamente.

O que se vê, em quase todos os países ocidentais, são manifestações civis de apoio aos radicais Palestinos. Manisfestações que não levam a lugar algum!
E se esquecem estas pessoas que o escritor Salman Rushdie está jurado de morte por ter escrito um livro que supostamente ofendeu Maomé. Por ter escrito!
Esquecem, ainda, que os extremistas muçulmanos até hoje aplicam regras do Corão que condenam à morte pessoas por apostasia, adultério, blasfêmia ou homossexualismo. À morte!



***

9 de jan de 2009

FENÔMENOS: Ronaldo e a Inflação

Acaba de ser divulgado o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor - Amplo) de dezembro 2008.
Ficou em 0,28%. Abaixo da taxa de novembro (0,36%) e bem longe de dezembro 2007 (0,74%).

É o índice de inflação do período, medido pelo IBGE, que mostra a tendência de declínio.
Assim, a taxa anual ficou em 5,9%.

Nada mal, apesar de ser o maior dos últimos 4 anos.
A meta fixada pelo ministro Mantega e sua equipe, era 6,5%.

Vi analistas famosos jogando água nas previsões do Planalto assim que a crise internacional começou a quebrar bancos e empresas nos EUA.
Falavam, do alto de sua credibilidade, em mais de 7,0% no ano; alguns, provavelmente donos de bolas de cristal, previam até inflação maior. Ouvi falarem em 2 dígitos.

Taí.
Mais uma vitória do pessoal que cuida das finanças do país.
Acertaram em cheio, e teriam revisto a previsão, para baixo, não fossem os problemas externos e o forte aumento no preço dos alimentos.
Sem a crise, a inflação não passaria dos 4,5%.

Essa seriedade no governo é que faz a crise parecer distante; a credibilidade do governo atrai investimentos externos, e nossa capacidade de resolver os problemas do país melhora a cada nova divulgação de índices.

Sim. Ia esquecendo.
Ronaldo, o fenômeno!
Está acima do peso (como sempre ...)
Convém ele ir procurar o Ministro Mantega para saber quando ele voltará a ter o peso de jogador de futebol. O Campeonato Paulista já vai começar e ele anda gordo demais ... talvez o pessoal do Ministério da Fazenda, bom de previsões, possa dar alguma esperança à torcida corinthiana ...

***

8 de jan de 2009

CORTINA DE FUMAÇA

Os Presidentes do Banco Central, Henrique Meirelles e do Bradesco, Marcio Cypriano, discutiram ontem à tarde, numa reunião, em Brasilia, a respeito da taxa de juros.

O segundo pediu ao primeiro para baixarem a taxa SELIC na próxima reunião do COPOM; o primeiro respondeu ásperamente que o problema não é a taxa SELIC, mas o spread dos bancos.

SELIC é a taxa básica de juros , fixada pelo Banco Central do Brasil; spread é a diferença entre o valor que os bancos privados captam o dinheiro e quanto eles cobram num empréstimo. É o lucro bruto do banco.

A reunião foi convocada pelo ministro Guido Mantega para tratar da crise internacional, e estiveram presentes representantes de 10 associações empresariais, além do presidente do BC, conforme reportagem da Folha de São Paulo.

A taxa SELIC, de 13,75%, permanece inalterada desde Setembro/2008. Há controvérsias quanto ao patamar onde estacionou, mas essa discussão é longa. O spread bancário, entretanto, cresceu significativamente. Em Outubro/2008 estava em 36,26%, ou 1,96 ponto acima da taxa de Setembro.

Peraí!

Quer dizer que o lucro dos bancos está crescendo numa velocidade bastante elevada, por causa do medo das consequências da crise internacional, crise de falta de confiança, que faz o banco cobrar mais caro por seu produto, o dinheiro.

Qual a razão, então, para a banca privada pedir que o BC baixe mais a SELIC?

Fácil.

Querem aumentar seus lucros.



O risco de um empréstimo, no ponto de vista do dono da bufunfa, aumentou. O medo do calote faz o gerente do banco temer por seu emprego se o cliente não pagar o papagaio que ele autorizou. Porisso, eles sobem a taxa de risco, que nada mais é que o medo de não receber.

Isso pode!

Mas querem mais.

Querem que o Banco Central diminua a taxa básica de juros porque é essa taxa a referência que o banco usa quando precisa tomar dinheiro.

Uma vez ouvi um banqueiro dizer que quando a SELIC sobe, o banco sobe sua taxa pelo elevador; quando a SELIC baixa, sua taxa vai pela escada.

Hoje, o spread dos bancos privados é imoral, um dos maiores do mundo, mas a imprensa prefere jogar uma cortina de fumaça sobre o assunto e deixar o BC como o grande vilão dos juros no Brasil.

Já está passando da hora das pessoas começarem a pensar um pouco mais a respeito.
Tenho lido inúmeras críticas feitas à taxa de juro no Brasil, mas poucos pensam na consequência de aumentar ou diminuir essa taxa. Poucos pensam com responsabilidade, que é o que mais falta entre os críticos do governo.

Além da costumeira falta de caráter, boa parcela dos formadores de opinião muitas vezes despejam idiotices enormes na mídia, sem qualquer compromisso com a sociedade. Gostam de falar. Gostam de aparecer. São os loucos por holofotes!

***

3 de jan de 2009

Neo-Coronelismo à Paulista

***
Quem ainda não percebeu o nascimento do neo-coronelismo paulista, deve prestar mais atenção aos atos, gestos e palavras de seu governador, José Serra, aquele que tem em seu curriculum político o sangue da adolescente Eloá, ao não impedir o ato criminoso de sua polícia ao invadir o apartamento onde ela era mantida refém.

Sua pretensão política, seu sonho utópico de ser o Presidente da República do Brasil, o faz agir da mesma forma que agiam os velhos coronéis do Nordeste. Agora, Coroné Zé Serra age igual a eles; passa por cima da ética, do respeito às instituições, com covardia e maucaratismo.
A diferença dos antigos coronéis é que mandavam e desmandavam ancorados na paixão popular de seus eleitores; eram aclamados pelas ruas como os heróis libertadores de todos os males, que eles mesmos eram os causadores.
E eram criticados pelos paulistas pela postura reacionária e violenta com que atuavam.


Coroné Zé Serra, e seu dedo autoritário


Com o Coroné Zé Serra a coisa é um pouco diferente.
Já levou ovos na cabeça, atirados por professores manifestantes indignados com a política salarial do estado de São Paulo. Apesar de ser odiado por grande parte do povo brasileiro, conseguiu espaço na mídia para se promover.
Antigamente, coronel se impunha na bala!
Hoje, Coroné se esconde atrás das câmeras da Globo e dos flashes das máquinas fotográficas dos jornais da imprensa comprometida brasileira.

Um bom exemplo do neo-coronelismo foi a última eleição municipal de São Paulo.
O candidato do partido do Coroné Zé Serra, o ex-governador Geraldo Alckmin, foi excluído da disputa à prefeitura pelo desconhecido Kassab (desculpe, mas não lembro o primeiro nome dele) pelo próprio Coroné Zé Serra. Kassab é do Dem. Alckmin, do PSDB.
Alckmin foi o candidato do PSDB à Presidência da República em 2005, apoiado pelo Coroné Zé Serra e todo o resto dos tucanos.

O humilde Kassab, em pose bobo-da-corte

Mas, como é, então, que Geraldo Alckmin pode servir para ser Presidente da República do Brasil, e não servir para ser prefeito de São Paulo?
Não dá prá entender, a não ser como fato político necessário para assentar os fundamentos do neo-coronelismo no sudeste do Brasil, especificamente no ninho tucano de São Paulo.

Fica cada vez mais evidente o engodo.
Enquanto consegue iludir considerável parcela da população mais à direita no país, o Coroné vai acreditando que pode alcançar o posto mais alto na Nação.

O risco, é seu pessoal do marketing tentar elevar o nome do Coroné mais alto, mandando matar seus opositores, como se fazia antigamente. Particularmente, não acredito nesta possibilidade, mas ...



No finzinho de 2008, as Tevês do país inteiro foram inundadas pela propaganda da empresa de águas do estado de São Paulo, SABESP. É certo que era propaganda institucional, e tentava mostrar a imagem de um estado desenvolvido e feliz. São Paulo! Ficou parecendo propaganda eleitoral.


A intenção do Coroné Zé Serra é querer mostrar ao resto do Brasil sua eficiência administrativa.
Mas esconde - e a mídia colabora - as catástrofes que a mesma água que abastece a capital paulista, através da SABESP, é aquela que inunda ruas e casas em período de chuvas!
Problemas que parecem menores diante da vontade do Coroné em se eleger Presidente.


O dilúvio que o Coroné Zé Serra esconde será sua maior derrota diante de um povo calejado por tantos malefícios causados pelo neo-coronelismo tucano em São Paulo.

***