8 de abr de 2012

Quem disse que brasileiro tem memória curta?

***
Manifestantes fizeram protesto em frente à casa de Harry Shibata, médico legista

Esta imagem, produzida pela Folhapress, foi sacada ontem, dia do Médico Legista.
São manifestantes diante da casa do médico(?) harry shibata (em minúsculo, mesmo), protestando contra a impunidade deste assassino!

Shibata era o legista que atestava a morte dos torturados do regime militar. Assinava laudos como se fossem atropelamentos, quedas, suicídios. Como fez no atestado de óbito do jornalista Wladimir Herzog e do operário Manuel Fiel Filho. E tantas outra vítimas do DOI-CODI e da OBAN.

Você esqueceu, shibata, das instruções que passava aos torturadores para que não deixassem marcas nos corpos?


Achou que o brasileiro tinha esquecido?


***

6 de abr de 2012

INSINUAÇÕES CRETINAS.

***

Ano de eleição e aparece gente falando bobagem.
Sem ter como defender a oposição, a velha mídia, agora, quer insistir numa aliança entre Lula e FHC.
"Para o bem do Brasil", dizem.
Um jornalista chega a dizer que PT e PSDB são as forças democráticas remanescentes das últimas décadas, porisso, a necessidade da união.

Mas, estas não são as duas únicas reais frentes parlamentares no Congresso Nacional e na sociedade? Quem mais representa a situação e a oposição? O PT e sua imensa maioria eleita democraticamente, e o PSDB com seus minguados representantes, formam as duas correntes do pensamento político brasileiro. Bastante divergentes, diga-se.

Um, progressista. Outro, reacionário.

A opção, pela via do voto, nas últimas 3 eleições presidenciais, foi o PT. Os tucanos, no cenário nacional, resumem-se a dois ou três nomes - sempre os mesmos - com chances ínfimas de ganhar as eleições para Presidente da República em 2.014.

Deve ser por esta razão que setores conservadores pregam a união Lula e FHC.

Como se o programa de governo de Lula (e, agora, de Dilma) fosse a continuação de FHC! Será que não se cansam de insistir nessa tese? Não parece óbvio que o período FHC foi desastroso social e economicamente enquanto os governos Lula e Dilma, foram de progresso?

O que este blog entende com as insinuações cretinas de parte da velha midia é a tentativa de dar vida à oposição, ao PSDB, uma vez que o DEM está em vias de virar fumaça.

A idéia é boa. Um país consolidado democraticamente deve ter uma oposição forte para, no mínimo, balizar as ações do governo. Mas a forma como estão querendo fazer é um desastre.

Melhor seria a oposição levantar bandeiras sociais; enterrar definitivamente o discurso neoliberal e privatizante que os tucanos adoram. 

FHC, caso ainda tenha algum ideal político, deveria fazer um mea culpa e comandar a oposição de forma mais inteligente. Só com ações da imprensa não vai longe.

***

1 de abr de 2012

Cadê a coragem, jornalista?



***

O inquérito que corre na Décima Primeira Vara da Justiça Federal de Goiás, há clara menção a jornalistas da revista veja (em minúsculo!), envolvidos na quadrilha de Demóstenes "Paladino" Torres.

Até agora, só o blogueiro-coitado Reinaldo Azevedo teve peito (!) de tentar defender seus colegas Policarpo Jr, diretor da sucursal Brasilia da veja, e Eurípedes Alcântara, diretor de redação da mesma revista. Mas Reinaldo, ora, não conta como referência. Ele é subordinado ao Civita e, por seu chefe, se atiraria da ponte.
Onde estão os demais veículos, a velha midia, para defender ou investigar as relações do jornalismo com o crime? É falta de coragem ou de vergonha na cara?

No primeiro governo do Presidente Lula, esta imprensa covarde tentou derrubar o governo eleito do PT através do que cunharam de "mensalão". Derrubaram o Ministro Chefe da Casa Civil, Zé Dirceu, que se defende, até hoje, no STF.

Sabe-se que a gravação do video do diretor dos Correios, Mauricio Marinho, recebendo três mil reais, exibido na Globo e demais veículos, quem mandou gravar as imagens foi Carlinhos Cachoeira, para o senador Demóstenes Paladino.

Valentia?
Não! Quadrilha, mesmo.

Quando quer, a midia vai a fundo nas investigações; se associa ao crime organizado para obter audiência e vantagens politicas. Mas, quando a farsa desponta e as evidências levam jornalistas para a beira do abismo, se cala! Esconde como pode seus colegas bandidos, com um corporativismo de dar inveja aos políticos!

Vamos lá, jornalistas medíocres, mostrem seus dentes e apontem seus dedos imundos para Policarpo e Eurípedes!

***