26 de ago de 2012

CLÓVIS ACREDITA EM MAGIA.

***
Clóvis Rossi, colunista da folha*, escreve a frase:

"(...) os governos supostamente de esquerda e suas políticas pró-pobres não foram capazes de tirar a América Latina do papel de campeã mundial da desigualdade. Ou ela é inoxidável ou eles precisam reinventar-se."

Baseado em dados do Relatório Gini, divulgado pela ONU, Clóvis afima que a desigualdade no Brasil não diminuiu de verdade, apesar de constar do relatório redução do índice - de 0,52 para 0,47 entre os anos de 1999 a 2009, sendo que o índice igual a zero significa perfeita igualdade.

O citado acima está na própria coluna do cidadão que acredita em magia. Clique aqui para ler a integra.

É espantoso quando um sujeito, de posse de números colhidos por organismos que ele mesmo acredita serem confiáveis, busca, na essência destes mesmos números, a realidade que ele quer que os outros acreditem!

É, até certo ponto, burrice.

A ONU mostra que houve diminuição no nivel de desigualdade no Brasil em dez anos - 10% conforme se nota - mas o colunista que acredita em magia não é capaz de admitir que esta melhora, ainda que pequena, ocorreu para pessoas de verdade, de carne e osso, que migraram para a classe média e hoje estão aptos a comprar uma geladeira.

Fica fácil dizer que ainda somos desiguais. A esquerda sabe disso, senhor Clóvis, pois tivemos os piores indicadores sociais durante 500 anos. Coincidentemente, quando éramos governados pela direita ...

Hoje, entretanto, não só no Brasil mas nos demais países citados na coluna, pessoas de carne e osso passaram a ter acesso ao consumo, ao emprego, ao salário. Dizer que o Bolsa-Familia consome apenas 0,4% do PIB pode não lhe parecer muito, mas para quem recebeu a ajuda, é!. Mesmo que o senhor Clóvis não seja capaz de imaginar que existem pessoas reais que sobrevivem com este auxílio!

Para ilustrar o que pretendo dizer basta observar os niveis de popularidade dos governantes de esquerda da América Latina. Não os niveis medidos nos bairros mais nobres, não, mas entre os mais pobres, os mais desiguais, que se notará a evidente melhora.

Queria, o senhor Clóvis, que a esquerda, depois de eleita na América Latina, extinguisse a miséria e a pobreza num passe de mágica; a exploração do trabalho pelo capital foi tão nociva no século XX, sobretudo no terceiro mundo, que foi capaz de produzir uma miséria crônica em países subjugados como o Brasil.

Não existe magia. Não existe milagre. O senhor Clóvis deveria aplaudir um governo que em 10 anos retirou mais de 30 milhões de brasileiros da pobreza e os incluiu na classe média, oferecendo oportunidade de trabalho, renda e consumo. E seguem incluindo mais e mais pessoas, para desespero de alguns que se vêem obrigados a dividir poltrona de avião com pobre ...

Deve ser difícil para um colunista da folha* imaginar que existam pessoas de carne e osso, de verdade, que, apesar de estarem fora de seu campo visual, sintam-se melhores por poderem comprar uma geladeira.

Ou, como deve ser o desejo mais secreto deste tipo de jornalista, melhor seria voltarmos as governos de direita, aumentar a miséria e a desigualdade e, assim, esconder estes números da população ...e dane-se o leitor!

***
* Este blogueiro recusa-se a grafar os nomes dos jornais folha, globo e estadão, e da revista veja, com as inicias maiúsculas.

***

21 de ago de 2012

D. MAINARDI: vagabundo e mentiroso.

***
Vagabundo é a definição que ele mesmo se atribui ao dizer que "só trabalho 8 minutos por semana".
Mentiroso, sou eu quem diz!

No programa Roda Viva, da TV Cultura de SP, ontem, em entrevista ao vivo, o playboyzinho tentou passar uma imagem diferente daquela que sempre teve: repetiu a palavra "amor" inúmeras vezes ao se referir ao filho com paralisia cerebral. Provavelmente, como estratégia para incrementar as vendas de seu livro, lançado recentemente.

Filho do publicitário Enio Mainardi, enfant gâté, escrevia uma coluna de política da revista veja* sempre atacando o Presidente Lula e o Partido dos Trabalhadores de forma geral.

No programa de ontem, entretanto, revelou não ter qualquer interesse por política; afirmou que pensava em atacar o ex-presidente e nefasto FHC no inicio de seu mandato mas, por falta de meios, não o fez! Perguntado sobre qual sua posição politica, respondeu: "não faço a menor idéia".
Acusou os blogs que apóiam Lula e Dilma de receberem recursos públicos, e afirmou que "todos os internautas são otários".
Cara de pau!

Em 09 de março de 2011o site www.portaldaimprensa.uol.com.br revelou documentos vazados pelo WikiLeaks que comprovam a relação de Mainardi com o consulado dos EUA. E sua ação política ao lado do candidato derrotado na eleição presidencial, José Serra.

Um trecho do documento diz:

"24) CABLEGATE DE HEARNE
246840/ 2/2/2010 19:13/ 10RIODEJANEIRO32/ Consulate Rio De Janeiro/ NCLASSIFIED//FOR OFFICIAL USE ONLY
Excertos dos itens "não classificados/para uso exclusivamente oficial" do telegrama 10RIODEJANEIRO32.
(...)
NO RIO, ANALISTAS DISCUTEM ALTERNATIVAS PARA A VICE-PRESIDÊNCIA

2. (SBU) Em almoço privado dia 12 de janeiro, o importante colunista político da revista Veja Diogo Mainardi disse ao cônsul dos EUA no Rio de Janeiro que a recente coluna [de Mainardi] na qual propõe o nome de Marina Silva como vice-presidente na chapa de Serra foi baseada em conversa entre Serra e Mainardi, na qual Serra dissera que Marina Silva seria a "companheira de chapa de seus sonhos".
 
Se o sujeito não faz a menor idéia de sua posição politica, apesar de atacar sistematicamente todos os membros do governo Lula, e seus simpatizantes, com qual intenção se reuniu com Serra?
 
É notório seu envolvimento com a direita politica e midiática do Brasil. A ponto de decidir publicar sugestão de nome para a vice-presidência na chapa tucana após encontro com o candidato.
 
Sua coluna na veja*, diferentemente do que ele pretende desmentir, é um panfleto politico-partidário em favor das velhas oligarquias brasileiras.

Nada contra. Desde que assuma.
Mentir só para ver crescerem as vendas de seu livro é infame, sobretudo quando o tema central é próprio filho.

***
* Este blogueiro recusa-se a grafar os nomes dos jornais folha, globo e estadão, e da revista veja, com as inicias maiúsculas.

***

19 de ago de 2012

A VERDADE SOBRE JULIAN ASSANGE

***

Além de fundador do Wikileaks, é a pedra no caminho dos EUA. Porisso, a fúria em detê-lo.
Os bretões, servis e humildes, estão  prontos para o serviço sujo: invadir a embaixada do Equador e resgatar o "perigoso"Julian.

Mas, por trás deste episódio, há muito mais coisas a esconder. A verdade, principalmente.

Das centenas de milhares de documentos vazados pelo Wikileaks pode-se compreender as razões da ação contra o jornalista. A CIA - central de inteligência dos EUA - age como verdadeira célula terrorista, espalhando o medo entre seus inimigos e o pavor entre cidadãos inocentes nos paises considerados "hostis".
Da guerra ao terror, desculpa para invadir o Iraque, revelam-se protagonistas de massacres sangrentos.
Por esta razão encontra-se preso o militar americano Bradley Manning, acusado de vazar o video do ataque a inocentes civis no Iraque, que executou, inclusive, um jornalista da Reuters.

Manning está preso há mais de dois anos e meio sem direito a defesa, sem julgamento, e será condenado a prisão perpétua. Vale lembrar que as leis norteamericanas não permitem a prisão por mais de 120 dias sem julgamento.

Julian Assange, se extraditado, será enviado para os EUA. Lá, poderá ser condenado a morte. Esta é razão dele ter pedido asilo politico ao Equador, aceito pelo Presidente Correa.

O Reino Unido, por sua vez, sempre dispostos ao serviço sujo, estão sinalizando com a possibilidade de invadir a embaixada equatoriana. Caso aconteça, terão rasgado o Tratado de Viena. Só a ameaça de invasão já demonstra o medo  da independência do jornalismo de Assange.

O engraçado é que não vemos na imprensa ocidental a revolta ao gesto do país da Rainha. A mesma imprensa que divulgou as notícias que o Wikileaks revelava...

A democracia, bem tão valioso que o ocidente o impõe pela força, quando julga necessário, está num impasse: ou somos democratas e libertamos Julian Assange e Bradley Manning, ou assumimos a condição de imperialistas. Cabe a nós, ocidentais, decidir.

Assange e Manning são apenas vitimas.
Sinalizam para onde deveremos seguir. As consequências das penas a que serão submetidos pode mudar a geografia do poder. O mundo não aceitará calado e, certamente, milhares de Assanges surgirão.

***

13 de ago de 2012

DILMA E A CONDENAÇÃO DE ZÉ DIRCEU.

***
Que a velha midia no Brasil é dona de um poder imenso - o quarto - estamos carecas de saber;
Que os maiores veículos de comunicação foram forjados nas entranhas da alta burguesia paulista e carioca, financiados com dinheiro público - sobretudo, no período ditatorial - de origem duvidosa, formando verdadeiros impérios da "notícia" de interesse dos governos desde Cabral, também não é nenhuma novidade.

O que mudou, de Lula para cá, foi, exatamente, o próprio Lula ter sido eleito. A contragosto daquela gente mas pelo voto livre e democrático.

É também sabido que o poder ainda continua nas mãos daquela meia dúzia de oligarcas donos de TVs e jornais; nas mãos de não mais de uma centena de jornalistas comprometidos até o pescoço com seus patrões. Nem sei se se pode denominar quem escreve para a veja*, globo*, estadão* ou folha*, de jornalista. Enfim.

O que há de diferente, hoje, é a relação governo-imprensa.
O Presidente Lula inaugurou uma fase até então inédita na vida institucional do Brasil: mais ou menos como se o governo assumisse sua condição de governar independente das manchetes do Jornal Nacional.

O preço foi caro. O próprio Lula previu as consequências e assumiu o papel de interlocutor com a população: inúmeras aparições do Presidente da República em contato com o povão, trocando abraços e beijos e afagos, foram registradas pela velha midia sem saber o que se passava.

A astúcia política do lider operário, "acusado" de analfabeto, cachaceiro, amante do futebol, etc etc etc, ficou demonstrada no drible espetacular que ele passou na imprensa: ao ser registrado como um homem comum, aproximou-se do eleitor.

Tentaram, de várias formas, acusá-lo de ser povão; a cada ataque, sua popularidade crescia. E é neste ponto que se tornou vencedor. Parece que o monopólio midiático do Brasil nunca entendeu bem essa história. Do controle absoluto sobre os rumos do país, passaram a ser coadjuvantes!

A marca mais importante da vitória de Lula sobre a velha midia, na minha opinião, é a vitória de Dilma Rousseff. O poste, como a chamavam durante a campanha. Nela, a população optou pela continuidade à despeito de todas as manchetes e acusações que pipocaram durante os oito anos de mandato de Lula. Contra ele, contra o Partido dos Trabalhadores e contra seus membros, sobretudo, contra José Dirceu. 

Hoje, em pleno julgamento, pelo STF, da ação denominada "mensalão", José Dirceu já está condenado. Independente da sentença dos Ministros da Corte. Sua imagem está manchada para sempre por obra das familias mafiosas da imprensa do Brasil. Ele sabe, todos sabemos.

Entretanto, é dificil aceitar o desmonte da imagem de um homem. Por mais crimes que alguém cometa, por maior que seja a culpa, a pena de José Dirceu é absurdamente alta. Pior, sentenciada por editores de cadernos de política de alguns jornais e TVs.

Dilma, por sua vez, demonstra indiferença quanto ao julgamento e seus desdobramentos. Até aqui, não se viu qualquer ação politica para influir no veredicto. Está empenhada em trabalhar para continuar a fazer o pais seguir sua rota de crescimento com distribuição de renda. Exatamente para a missão que lhe foi incumbida na eleição presidencial.

De estilo diferente de Lula, age da mesma forma que ele agiu: ignora as manchetes; aposta no resultado positivo de seu governo, e no sucesso econômico do país.

José Dirceu está condenado, a velha midia não vai desistir de atacar o governo e o PT; blogues e twiteres como este, por mais que tratem de desmascarar certos veículos nunca terão a repercussão que a imprensa corporativa tem. Dilma sabe, todos sabemos.


A aposta - que deu certo com Lula - é em seguir em frente, incluir mais e mais cidadãos; investir na geração de emprego e renda até elevar o país ao status de desenvolvido. Ignorar os movimentos que a oposição faz para desestabilizar o governo.

A verdade deixou de ser privilégio da elite econômica com seus editoriais que eles acreditavam formar opinião. Nunca formou. Nem formará. A experiência de ser cidadão é infinitamente mais poderosa que imaginam e nada tem a ver com o julgamento dos 38 réus acusados de corrupção.

Instituto de pesquisa divulgou que mais de 80% da população não sabe o que é o "mensalão". Porisso, a posição acertada de Dilma Rousseff.

A velha midia perdeu o bonde da história ao não compreender que Dilma e Lula são povão!

***

Para ilustrar este post, não posso deixar de comentar o que li sobre a festa de encerramento das Olimpiadas, ontem.
As criticas de certos jornais foi que as Olimpiadas do Rio 2016 serão um fracasso! Até a aparição dos artistas brasileiros na festa de ontem foi motivo de critica.

Londres teve John Lennon e nós, teremos passistas mulatas de escolas de samba ... incrível querer negar nossa cultura, nossa beleza, nosso samba ... queriam que quem subisse no palco da festa olimpica, loiras de olhos azuis ???

Não é complexo de vira-lata, como dizia Nelson Rodrigues, mas maldade pura e sem sentido,
 
***
* Este blogueiro recusa-se a grafar os nomes dos jornais folha, globo e estadão, e da revista veja, com as inicias maiúsculas.

***