14 de fev de 2012

Sou tapado! E Gilberto é uma mentira!

***
Parece não haver qualquer possibilidade de usar a honestidade como forma de fazer jornalismo.
Pelo menos, para alguns, aqueles da velha mídia, que acham que somos todos idiotas e, porisso, se acham no direito de vomitar suas bobagens mentirosas sobre os brasileiros.

Vamos lá.
Estou falando de gilberto dimenstein (em minusculo mesmo, revisor!), colunista da Folha de São Paulo.
Duas pérolas escritas por este cidadão de segunda classe - e já explico a razão da segunda classe - no espaço de uma semana, apenas.

Disse ser de uma geração que via em Salvador a terra da fertilidade e da criatividade por causa de gente como Gil, Caetano, Jorge Amado, Glauber Rocha, João Ubaldo e mais alguns famosos. Vem constantemente a Salvador por questões familiares e decreta que a capital da Bahia está decadente e violenta - lixo na rua, indicadores de morte e roubos.

Ora, gilberto, a ONG que sua familia mantém na Bahia - CIPÓ - com verbas do governo do estado, há anos, não é supostamente uma organização para ajudar crianças carentes do suburbio? Seu trabalho e o de sua familia não deve ser tão eficiente como você acredita ser ... não saiu da CIPÓ nenhum Gil ou Caetano, não é mesmo? Como se só essa gente fosse a cara da Bahia, a verdadeira Salvador que, provavelmente, você pouco conhece por frequentar a Barra, o Rio Vermelho e Ondina, não é mesmo?

Então, gilberto, vou lhe dizer uma coisa: A Bahia (e Salvador) é maior que você e a quadrilha para a qual você trabalha! Aqui tem gente honesta, decente, que sua sob um sol escaldante dia após dia e não merece o titulo de sua coluna: SALVADOR É UMA MENTIRA (Clique para ler a integra da bobagem.) Pena não sermos todos Glaubers ou Ubaldos, mas temos orgulho daqui e, sinceramente, não precisamos que alguém de caráter duvidoso, como é seu caso, venha debater sobre verdades e mentiras.

Não bastasse, nesta semana o infeliz escreve outra asneira, agora com alto teor politico-partidário, querendo convencer o leitor que é um jornalista isento: POR QUE SERRA ME DEPRIME (clique para ler outra bobagem). Pura mentira!

Começa dizendo que só um tapado total para não admitir que José Serra tem qualidades administrativas escassas entre os politicos brasileiros. Quais, cara pálida? Talvez, gilberto, você esteja confundindo os Serra, deve estar querendo se referir a Veronica, a filhota, que enriqueceu do dia para a noite na época das privatizações do governo nefasto de FHC. Esta sim deve ter capacidades administrativas espetaculares ... que o diga Amaury Ribeiro Jr e seu livro "A Privataria Tucana".

Admito, diante do conceito mesquinho de gilberto, ser tapado! Sobretudo, por não poder compreender o que significa um dos parágrafos de sua coluna, que reproduzo abaixo:

Mesmo que não dispute [a presidência] , sua cabeça não vai estar integralmente em São Paulo, cuidando de enchentes ou coleta de lixo --coisas que ele considera (e dá para entender) menores.


Como assim, dá para entender? Quem é o tapado, eu ou você, gilberto?
Dizer que gosta da cidade de São Paulo e enxergar os problemas das enchentes e do lixo como coisas menores é de uma estupidez gritante! Se gosta, não pode entender! Não é Salvador a cidade do lixo?

Mas o mais interessante é que o texto, se lido na integra, à partir do título - que remete à idéia de que Serra o deprime - nos deparamos com um covarde ataque ao Partido dos Trabalhadores, acusando-o de usar a eleição municipal como trampolim para o Palácio dos Bandeirantes e tentar, como, aliás, toda a velha midia está tentando, colar seu xará, Gilberto Kassab (deixe maiusculo, revisor!), como aliado do PT.

Quem faz isso, gilberto, são seus coleguinhas tucanos, Serra e Alckmin, que sairam do governo do estado de São Paulo para concorrer à Presidência da República e perderem, fragorosamente, para Lula e Dilma. Do PT. Usaram seu voto para governador com a mente voltada no Palácio do Planalto.

Uma última coisa, que não consegui deglutir ainda: no seu curriculum, publicado abaixo de cada coluna, você menciona, gilberto, que é morador da Vila Madalena. Sinceramente, você considera este fato importante para sua competência jornalistica?

É.
Vou rever minha condição de tapado!
***
PS - Infelizmente, não nasci baiano, mas escolhi Salvador como lugar para viver com minha familia. Tenho orgulho e me sinto bem aqui, apesar de todos os problemas da cidade. Sou paulistano, mas nunca morei na Vila Madalena e não acho importante me inserir num bairro para parecer descolado e legalzinho!

***

Um comentário:

lulepe disse...

Tômo gilberto papudo..