6 de mai de 2008

POBRE NÃO É BURRO


Final de abril de 2008: Brasil alcança o investment grade, classificação adotada pela agência Standard & Poor's para dizer aos investidores do mundo: Podem investir no Brasil. É um país sério!
Há pouco tempo, tínhamos derrotado a dívida externa, somando recursos suficientes para quitar todos os débitos públicos e privados. Agora, essa agência de classificação de risco nos coloca no patamar de confiabilidade que qualquer investidor pretende, quando tem dinheiro e quer aplicá-lo com certa segurança.
Apesar disso, analistas brasileiros preferem minimizar o ótimo desempenho da economia para desqualificar as ações do governo Lula do PT; aliás, tenho certeza que não se pode chamar de analista alguém que coloca seus ideais políticos à frente das informações que se passa ao público.
Ao mesmo tempo, essa mesma gente vê crescer a popularidade do governo de Lula do PT e não entende como é possível isso, num país onde a maioria absoluta da população nem sabe o que significa dívida externa ou grau de investimento.
O que essas pessoinhas não sabem, essa parcela retrógrada e degradada da imprensa (Globo, Folha, Estadão) não imagina, é que o pobre é pobre mas não é burro!

Nenhum comentário: