27 de mai de 2008

“AS SUPERSTIÇÕES MAIS INFANTIS”


O jornal espanhol EL PAÍS publicou uma carta escrita pelo cientista Albert Einstein.
.
Trata de religião.
.
Poucas vezes ele tocou nesse assunto.
.
O texto foi traduzido por mim, porisso, passível de erros.
.
O nome da matéria é “AS SUPERSTIÇÕES MAIS INFANTIS”.
.
Abaixo, o texto.
.
.
"As opiniões de Albert Einstein sobre a religião foram objeto de polêmica entre os especialistas. Uma carta inédita, remetida ao filósofo Eric Gutkind em 1954 agora mostra um gênio mais cético. A seguir, extratos de sua missiva, publicada pelo The Guardian.

(...)A palavra Deus, para mim, não é mais que a expressão e o produto das debilidades humanas, e a bíblia uma coleção de lendas dignas, mas primitivas, que são bastante infantis. Nenhuma interpretação, por mais sutil que seja, pode mudar isso (para mim).Tais interpretações sutis são de natureza variada, e praticamente nada tem a ver com o texto original. Para mim, a religião judaica, como todas as demais religiões, é uma encarnação das superstições mais infantis. E o povo judeu, ao qual me alegro de pertencer e com cuja mentalidade tenho profunda afinidade, não tem nenhuma qualidade diferente, para mim, às dos demais povos. Segundo minha experiência, não são melhores que outros grupos humanos, se muito estão protegidos dos piores cânceres porque não possuem nenhum poder. Além disso, não vejo nada de ‘escolhidos’. Dói-me que o Sr. reivindique uma posição de privilégio e trate de defendê-la com orgulho, um externo, como homem, e outro interno, como judeu. Como homem reivindica, por assim dizer, estar isento de uma casualidade que até aceita, e como judeu, o privilégio do monoteísmo.Mas uma casualidade limitada deixa de ser casualidade como nosso maravilhos Spinoza reconheceu de maneira incisiva, certamente antes de todos. E as interpretações animistas das religiões e da natureza não estão, em princípio, anuladas pela monopolização. Com barreiras semelhantes só podemos nos enganar (...) a nós mesmos, mas nossos esforços morais não saem beneficiados. Pelo contrário. (...)"

20 de mai de 2008

BEBEDOURO X CÂNCER DE PELE


Deu na Folha de São Paulo: O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), sancionou uma lei que obriga a instalação de bebedouros em casas noturnas. A medida tem o objetivo de amenizar os efeitos nocivos do álcool e de drogas, como ecstasy, entre os freqüentadores desses estabelecimentos.

A idéia do prefeito é impedir que as pessoas se desidratem!

O prefeito quer cuidar da vida dos paulistanos!

O alcaide DEMocrata tem boas intenções!

Sugiro, então, ao tão eficiente servidor, eleito (na verdade, era vice ...) na chapa de José Serra, que obrigue donos de hotéis da cidade que forneçam, gratuitamente, PROTETOR SOLAR aos paulistanos e turistas que usam as piscinas desses hotéis.

Afinal, o sol também desidrata, além de causar câncer de pele!
Kassab: homem de visão! Vai ser Presidente da República um dia ...

8 de mai de 2008

DILMA ROUSSEFF X MENTIRA


Dilma Rousseff

A Ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, foi chamada de MENTIROSA pelo Senador José Agripino Maia, do Rio Grande do Norte, em audiência da CPI dos cartões.
Este coronel potiguar usou o direito à palavra para dizer que a Ministra, quando foi submetida a tortura pelo regime militar, mentiu durante interrogatórios, e que ela mesma, em declarações à imprensa, confessou ter mentido muito durante as sessões de tortura.
Só para lembrar: este senador-coronel é do DEM, atual nome do antigo PFL, antiga ARENA, partido dos generais ditadores que torturavam e matavam ... mas não mentiam!
Nem é preciso comentar o que a Ministra respondeu, não vem ao caso. O que importa é o papel ingênuo a que se prestou o senador-coronel-da-república. Queria desbancar uma mulher que já foi guerrilheira, presa e torturada. Caiu na própria armadilha. Todos os jornais de hoje tratam o senador-coronel de banana!!
Obrigado, Ministra, por ter mentido. Mentiu por seus companheiros. Mentiu por seus ideais. Mentiu por todos nós!

6 de mai de 2008

POBRE NÃO É BURRO


Final de abril de 2008: Brasil alcança o investment grade, classificação adotada pela agência Standard & Poor's para dizer aos investidores do mundo: Podem investir no Brasil. É um país sério!
Há pouco tempo, tínhamos derrotado a dívida externa, somando recursos suficientes para quitar todos os débitos públicos e privados. Agora, essa agência de classificação de risco nos coloca no patamar de confiabilidade que qualquer investidor pretende, quando tem dinheiro e quer aplicá-lo com certa segurança.
Apesar disso, analistas brasileiros preferem minimizar o ótimo desempenho da economia para desqualificar as ações do governo Lula do PT; aliás, tenho certeza que não se pode chamar de analista alguém que coloca seus ideais políticos à frente das informações que se passa ao público.
Ao mesmo tempo, essa mesma gente vê crescer a popularidade do governo de Lula do PT e não entende como é possível isso, num país onde a maioria absoluta da população nem sabe o que significa dívida externa ou grau de investimento.
O que essas pessoinhas não sabem, essa parcela retrógrada e degradada da imprensa (Globo, Folha, Estadão) não imagina, é que o pobre é pobre mas não é burro!