22 de out de 2009

A pobreza da Folha.

***
Publicada hoje, na Folha de São Paulo, entrevista do Presidente Luis Inácio Lula da Silva pelo repórter de politica Kennedy Alencar.
O que mais me chamou a atenção foi, além da famosa tendenciosidade do periodista, a pobreza das perguntas feitas ao presidente da República.
A certa altura, o rumo da entrevista alcançou a eleição presidencial de 2010 e tocaram no assunto das candidaturas. Kennedy pergunta qual a razão de Lula ter escolhido Dilma Rousseff como sua candidata preferida, em detrimento de outros nomes mais conhecidos na legenda petista, e, diante da resposta do presidente, ele dispara a seguinte pérola:
FOLHA - O sr. a acha preparada para presidir o Brasil?
Que resposta ele esperava, NÃO?
É impressionante como determinados setores da midia se consideram espertos. No fundo, de tão despreparados e comprometidos com os interesses de seus patrões, acabam produzindo asneiras deste tipo. Tentam transmitir a imagem de intelectuais mas acabam afundando na própria ignorância.
Outra pérola, com resposta à altura:
FOLHA - Zelaya completou um mês na embaixada brasileira fazendo política interna. Não foi longe demais?
LULA - Só tem um exagero em Honduras. É o golpista.
Não é incrível?
Alguém precisa aconselhar estes repórteres a fazer perguntas mais inteligentes. Achar que pode passar a perna num politico tarimbado como Lula é, no mínimo, ingenuidade.
Para não dizer burrice ...
***

Um comentário:

Tatiane Santos disse...

Olá Julio,
A Folha realmente impressiona. Será que ainda é jornal referência?! Depois de quedas consecutivas e consideráveis nas suas vendas, podemos observar que nada fazem para elevar a qualidade das informações transmitidas.
Gostei daqui!