26 de ago de 2012

CLÓVIS ACREDITA EM MAGIA.

***
Clóvis Rossi, colunista da folha*, escreve a frase:

"(...) os governos supostamente de esquerda e suas políticas pró-pobres não foram capazes de tirar a América Latina do papel de campeã mundial da desigualdade. Ou ela é inoxidável ou eles precisam reinventar-se."

Baseado em dados do Relatório Gini, divulgado pela ONU, Clóvis afima que a desigualdade no Brasil não diminuiu de verdade, apesar de constar do relatório redução do índice - de 0,52 para 0,47 entre os anos de 1999 a 2009, sendo que o índice igual a zero significa perfeita igualdade.

O citado acima está na própria coluna do cidadão que acredita em magia. Clique aqui para ler a integra.

É espantoso quando um sujeito, de posse de números colhidos por organismos que ele mesmo acredita serem confiáveis, busca, na essência destes mesmos números, a realidade que ele quer que os outros acreditem!

É, até certo ponto, burrice.

A ONU mostra que houve diminuição no nivel de desigualdade no Brasil em dez anos - 10% conforme se nota - mas o colunista que acredita em magia não é capaz de admitir que esta melhora, ainda que pequena, ocorreu para pessoas de verdade, de carne e osso, que migraram para a classe média e hoje estão aptos a comprar uma geladeira.

Fica fácil dizer que ainda somos desiguais. A esquerda sabe disso, senhor Clóvis, pois tivemos os piores indicadores sociais durante 500 anos. Coincidentemente, quando éramos governados pela direita ...

Hoje, entretanto, não só no Brasil mas nos demais países citados na coluna, pessoas de carne e osso passaram a ter acesso ao consumo, ao emprego, ao salário. Dizer que o Bolsa-Familia consome apenas 0,4% do PIB pode não lhe parecer muito, mas para quem recebeu a ajuda, é!. Mesmo que o senhor Clóvis não seja capaz de imaginar que existem pessoas reais que sobrevivem com este auxílio!

Para ilustrar o que pretendo dizer basta observar os niveis de popularidade dos governantes de esquerda da América Latina. Não os niveis medidos nos bairros mais nobres, não, mas entre os mais pobres, os mais desiguais, que se notará a evidente melhora.

Queria, o senhor Clóvis, que a esquerda, depois de eleita na América Latina, extinguisse a miséria e a pobreza num passe de mágica; a exploração do trabalho pelo capital foi tão nociva no século XX, sobretudo no terceiro mundo, que foi capaz de produzir uma miséria crônica em países subjugados como o Brasil.

Não existe magia. Não existe milagre. O senhor Clóvis deveria aplaudir um governo que em 10 anos retirou mais de 30 milhões de brasileiros da pobreza e os incluiu na classe média, oferecendo oportunidade de trabalho, renda e consumo. E seguem incluindo mais e mais pessoas, para desespero de alguns que se vêem obrigados a dividir poltrona de avião com pobre ...

Deve ser difícil para um colunista da folha* imaginar que existam pessoas de carne e osso, de verdade, que, apesar de estarem fora de seu campo visual, sintam-se melhores por poderem comprar uma geladeira.

Ou, como deve ser o desejo mais secreto deste tipo de jornalista, melhor seria voltarmos as governos de direita, aumentar a miséria e a desigualdade e, assim, esconder estes números da população ...e dane-se o leitor!

***
* Este blogueiro recusa-se a grafar os nomes dos jornais folha, globo e estadão, e da revista veja, com as inicias maiúsculas.

***

Um comentário:

H.Pires disse...

Esse cidadão, SUPOSTAMENTE JORNALISTA mas, com certeza, DIREITISTA, delira. Vive seu mundinho paralelo, e não consegue se safar dele, por pura exaustão fisica e mental, ao se submeter, todos os dias, às posições exigidas por seu patrão. Tal qual os seus outros amigos direitista e SUPOSTAMENTE JORNALISTAS TAMBÉM.