28 de mar de 2009

A imprensa terrorista

***



O Brasil está se tornando um país peculiar.
.
Certos grupos empresariais da mídia estão usando o estilo Bin Laden. Destruição total.
.
A Folha de São Paulo é o exemplo vivo deste meio de ação devastador. Seus jornalistas (?) escrevem matérias com o nítido objetivo de provocar desabamento de reputações.
.
Vou citar nomes.
.
Sérgio Malbergier, o boçal.
Josias de Souza.
Kennedy Alencar.
Renata Lo Prete.
Vinicius Torres Freire.
E outros tantos, que seria monótono relacioná-los aqui.
.
Esta semana, dia 26/03, enviei e-mail ao Ombudsman da Folha, Carlos Eduardo Lins da Silva (ombudsman@uol.com.br), com o seguinte teor:
.
É estarrecedora a tendenciosidade do jornal onde o senhor trabalha!
Ler notícias relacionadas à Operação Castelo de Areia tornou-se exercício de pular obstáculo: é preciso muita atenção para não ser derrubado pela manipulação óbvia que a FSP pretende fazer com seus leitores.

.
No Painel, por exemplo, editado pela maliciosa Renata Lo Prete, não há sequer a menção aos partidos envolvidos na sujeira da Camargo Correa, PSDB e DEM. Apenas uma citação a FIESP.
Sobre o Partido dos Trabalhadores, despeja dúvidas. Fala, até, em telhado de vidro e de barbas de molho ...
.
O que vocês pretendem com isso? Desviar o foco?

.
Não sejam inocentes. Tratar seus leitores como asnos é o pior instrumento que esta empresa pode utilizar.
Asnos, são os editores desse folhetim marrom!

Até hoje não obtive resposta.
Nem tenho esperanças, pois tratando-se de uma empresa jornalística que apoiou a Ditabranda, nada mais óbvio que recorrer ao terrorismo.
.
Osama Bin Laden, pelo menos, é mais honesto, em matéria de assumir responsabilidades.

***

2 comentários:

La Pasionaria Ibarrure disse...

Muito bom Julio, estamos alinhados e em sintonia fina. Lá no brasilmobilizado, também falamos da imprensa e dos piratas.
Não podemos dar folga para essa imprensa comprometida até a medula com as forças mais reacionárias deste pais.
Sigamos, nesta cruzada contra os verdadeirs terroristas deste país.

Tatu disse...

Osama Bin Laden, pelo menos, é mais honesto, em matéria de assumir responsabilidades.[2]