8 de abr de 2010

OS PALHAÇOS NA TV.

***
Acompanhei as coberturas das tragédias provocadas pelas enchentes em São Paulo e no Rio de Janeiro, pelo Jornal da Globo, e tive a sensação de estar no circo.

Nas enchentes de SP, o palhaço William Waack fez de tudo para colocar a culpa das inundações em São Pedro. Não poupou as vítimas, acusando-as de serem as responsáveis pelos entulhos atirados nos córregos e rios; poupou os governos municipal e estadual. Entrevistou metereologistas que declararam que a quantidade de águas era a maior das últimas décadas.

Na tragédia do Rio, entretanto, além de Waack, outro palhaço mostrou a cara no video. O palhaço Jabor.
Acusou, com o dedinho em riste na tela, que a população pobre "está à mercê de décadas de governantes irresponsáveis e corruptos".

Nem menção a São Pedro.

Fico pensando no que leva dois sujeitos como o Waack e o Jabor, nesta altura da vida, a se prestar ao papel de palhaços. Se trabalhassem no circo, seriam aplaudidos. Na TV, tornam-se desacreditados.

Em São Paulo, passada a enchente, bairros inteiros continuaram submersos. Nenhuma crítica às autoridades. No Rio, uma cidade geograficamente mais suscetível a enchentes - pelas encostas, morros ocupados e proximidade do mar - a culpa recaiu diretamente sobre os governantes locais.

Não quero entrar no mérito das responsablidades; não vou incorrer no erro de acusar sem conhecimento. Tenho a sensação de que estas tragédias, que ocorrem a cada 50 anos, não podem se revitadas. Acredito que a reponsabilidade dos governos é na assistência às vitimas.

Minha certeza é quando à tendenciosidade das coberturas. Em São Paulo, governo estadual e municipal são protegidos pela midia. No Rio, acusada.

Depois, fazem cara feia quando sua audiência cai. Querem o quê?
Pelo menos, quando perderem o emprego, podem procurar emprego no circo ...

***

4 comentários:

La Pasionaria Ibarrure disse...

Julio Pegna,
é este o seu nome, Julio ou vc. tem outro?
De palhaços chinfrins o mundo tá cheio.
De pretendentes a palhaços, também.
Fazem das palhaçadas seu palanque e as focas se deliciam com as palhaçadas.
Mas os verdadeiros palhaços devem ser respeitados, essa corja de vagabundos descarados e vendidos não servem pro circo.
São tristes figuras que acabarão seus dias em qualquer beco imundo da vida.

JÚLIO disse...

Não entendi sua dúvida .... meu nome é esse mesmo e não costumo usar nomes falsos para dizer as verdades que acredito.
Sou homem o bastante para assumir as coisas que digo sem precisar agir como criança!

Obrigado pelos comentários e volte sempre!

Anônimo disse...

O amigo deve ser militante do PT só pode ser. Eu respeito, mas você também não sabia de nada não é?
A quem você deseja enganar? Política é para otário ou palhaço de plantão. Defender o PT ou qualquer político que seja é coisa de mal caráter. Quem defende bandido também o é.
Onófre de Azevedo Julião

Júlio Pegna disse...

Ô Onófre ... vc nem me conhece e, de uma só tacada, me chama de otário, palhaço de plantão, mau caráter e bandido ...

Como é isso, companheiro?
Se eu for metade do que vc falou, não sou PT, mas tucano como você!

Vá pentear macacos!