13 de jan de 2009

ISRAEL

atualizado em 14/01/2009 às 16h00

O texto abaixo é do romancista francês Pierre Jourde, publicado no Riposte Laïque, jornal independente da França, que publica semanalmente L'EDITO DE CYRANO;
Seus editores são de esquerda e lutam por um país laico.
Acreditam que a influência da religião no Estado é nociva, e dela se originam os maiores males da humanidade.

Pode parecer estranho, mas enquanto o mundo todo clama por justiça na guerra entre Israel e o Hammas, eles revelam suas angústias contra ambos os lados; tanto o governo de Israel como os líderes do Hammas são de extrema direita, e "santificar" os palestinos, porque são minoria e mais fracos, é o mesmo que apoiar a guerra e suas consequências.

Nenhum dos lados está correto. Esta é a opinião deste blogueiro. Israel está usando força desproporcional, sim, porisso é tão terrorista quanto o Hammas, que se utiliza de táticas de guerrilha para matar, também, gente inocente, em ataques-surpresa.

O Sandálias condena os dois lados, e lamenta a ineficiência, subserviência e falta de caráter do único organismo internacional capaz de frear o derramamento de sangue no Oriente Médio, a ONU.

Eis o texto de Pierre Jourde (comunista e ateu):

"Israel, 20.000 km2, 7 milhões de habitantes, 5 milhões de judeus, é responsável pela infelicidade dos Árabes, de todos os Árabes, sejam Egípcios, Sudaneses ou Franceses.
Israel é a própria injustiça. Eliminá-los da face da terra, massacrando os judeus, apagaríamos as injustiças.
É bom sentir-se encorajado por uma ira justificada. É bom, aproveitar o prazer de bater e perseguir por uma causa nobre.
Porisso não se deve dizer ao "povo" que os 2 milhões de Árabes israelenses tem direito ao voto, elegendo seus deputados livremente.
Não diga a eles que Israel sustenta financeiramente a Palestina.
Não lhes conte que milhares de palestinos se tratam em hospitais israelenses.
Não diga que a Universidade Hebraica de Jerusalém está repleta de jovens muçulmanas que frequentam as aulas de véu.
Não lhes pergunte por onde passaram os milhares de judeus de Alexandria. Hoje, restam 30.
Não pergunte que fim levaram os judeus dos países árabes.
Não pergunte se eles têm direito a regressar, eles também.

Não pergunte a eles qual a sociedade mais racista, Israel ou Siria.
Não lhes diga que, se há muitos pró-Palestinos em Israel, ainda estamos esperando para ver alguém pró-Israel nos países árabes.
Não conte a eles que a admiração por Hitler não é rara nos países árabes; que quando se trata de ilustrar as diferenças culturais através de grandes textos, a Biblioteca de Alexandria escolheu expor, em nome do judaismo, o 'Protocolo de Sion'; que este antisemitismo é largamente disseminado nos países Árabes.

Não lhes conte que, do ponto de vista das liberdades, da Democracia e dos Direitos Humanos, não somente é mil vezes melhor ser árabe em Israel, que ser Árabe em um país Árabe.
Não lhes diga que Alain Soral, do 'Front Nacional', que os odeia tanto, foi manifestar seu apoio ao Hezbollah, que eles tanto admiram."

Meu comentário - Nada justifica as centenas de mortos nesta guerra. Nada. Mas é uma guerra, e, até onde sei, na guerra se matam pessoas.
Israel está cometendo um erro gravíssimo ao agir da forma terrorista como age neste exato instante; o Hammas não é o povo Palestino. É uma entidade terrorista.
Ambos estão se comportando como fanáticos, que o são. Precisam ser parados imediatamente.

O que se vê, em quase todos os países ocidentais, são manifestações civis de apoio aos radicais Palestinos. Manisfestações que não levam a lugar algum!
E se esquecem estas pessoas que o escritor Salman Rushdie está jurado de morte por ter escrito um livro que supostamente ofendeu Maomé. Por ter escrito!
Esquecem, ainda, que os extremistas muçulmanos até hoje aplicam regras do Corão que condenam à morte pessoas por apostasia, adultério, blasfêmia ou homossexualismo. À morte!



***

Um comentário:

Anônimo disse...

Caros,

Extra! Urgente! Atentado ao delegado Protógenes! Dantas e quadrilha tentam assassinar o delegado federal! Vejam no blog do Igor: http://alexeievitchromanov.zip.net