3 de fev de 2009

Educação: a marca do governo





O Ministro da Educação, Fernando Haddad (foto abaixo), Professor do Departamento de Ciência Política da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP), recebeu autorização de Lula para enviar proposta ao Congresso Nacional para reduzir a obrigatoriedade escolar.


Hoje, o sistema educacional prevê que a idade escolar está na faixa dos 7 aos 14 anos. O Ministro pretende que a idade seja fixada entre 4 e 17 anos.


Isso representaria um avanço expressivo no modelo educacional brasileiro, e colocaria este governo numa posição espetacular em relação à educação, já que milhares de crianças passariam a ter acesso constitucional a escolas públicas.

Este avanço só será possivel com grandes investimentos. O que sempre foi cobrado do governo. Lula já autorizou aumento de 9 bilhões de reais no orçamento do Ministério da Educação.



O Ministro acredita que, com a mudança demográfica da população, as mulheres estão tendo cada vez menos filhos e começa a diminuir a quantidade de brasileiros entre 0 e 17 anos, o qe permitirá um substancial incremento na política educacional brasileira.

Havendo menos crianças e adolescentes, a medida passa a ser viável. O grande entrave será a concordância de governadores e prefeitos com a medida, visto que boa parte das escolas públicas estão nas esferas estadual e municipal.

Mas o passo já foi dado. E a população deverá acompanhar a mudança que só a beneficia, apesar de parte da mídia (a mais comprometida do planeta) achar que é uma medida eleitoreira.

Seja como for, a Educação está recebendo a devida atenção por parte deste governo. Um pouco atrasado, é verdade, mas sempre a tempo.

Nenhum comentário: