14 de fev de 2009

(mais da) CRISE

***

O mês de fevereiro está mostrando que o país não começa o ano depois do Carnaval.

Indicadores econômicos começam a mostrar os números da virada do ano, e são animadores.

Aqueles que acreditavam que a retomada do crescimento aconteceria só no segundo semestre, podem rever suas previsões.

Aqueles - leia-se, oposição - que acreditavam que a crise se aprofundaria durante todo o ano de 2009, podem começar a se lamentar!

As demissões, tão alardeadas pela imprensa mais comprometidas do planeta, diminuem o ritmo; a insegurança de algumas empresas tem resultado em dispensa de trabalhadores, principalmente nos centros mais industrializados do país, mas há setores da economia que apresentam franco crescimento. O turismo, por exemplo.

Hotéis do Rio de Janeiro e Salvador registram alta na quantidade de reservas para o Carnaval. É sinal de que a crise não é tão intensa e nem duradoura; as vendas de viagens para cruzeiros marítimos, também, apresenta um crescimento como nunca antes registrado. As pessoas reais pretendem viajar no Carnaval, e isso é tão positivo que a imprensa não registra. Basta checar os dados da ABAV.

A indústria automobilística, também, sempre a primeira a gritar quando as vendas diminuem, registrou alta nas vendas de carros em Janeiro, em relação a Dezembro. O comércio de carros usados também cresceu, demonstrando que o consumidor está confiante no desempenho da economia.

***

Empresários de todos os setores ganharam muito dinheiro durante os dois últimos anos, e acumularam gordura para períodos de baixa. Nada mais coerente que estejam revendo suas planilhas de investimentos, no momento que a Europa e os EUA atravessam momentos delicados. Mas não são burros. De jeito nenhum! 

Sabem que o custo da recontratação de pessoal é altíssimo e os fará perder competitividade. Porisso, as empresas que estão demitindo neste período são aquelas que mais podem fazer barulho, que tem mais visibilidade. Conseguem, assim, condições mais favoráveis para comercialização de seus produtos como, diminuição de carga tributária, acordos sindicais e tarifas de importação reduzidas. É a regra do jogo.

Na outra ponta, o governo está se comportando como deve, atento às reais necessidades de cada setor, e concedendo benefícios específicos para conter o desemprego. É tudo o que um governo popular pode querer. Emprego e renda. E sabem, os ministros da área econômica, que metade da grita é de mentirinha!

***

Enquanto isso a oposição esperneia contra o governo do PT, que reuniu mais de 400 prefeitos do Brasil inteiro e recebeu apoio maciço do executivo municipal. 
Reclamam - e prometem entrar no STF - de umas fotografias que teriam sido produzidas com a imagem de prefeitos que supostamente seriam "montadas" com imagens de Lula e Dilma Rousseff.

O Photoshop faz milagres!
E alguns acreditam que este milagre vai vencer as eleições de 2.010!

***

Um comentário:

Maluca disse...

Oia eu aqui.. seu contador tá doido.