17 de jun de 2009

A farsa do Ocidente contra o Irã

As eleições da última semana no Irã estão revelando uma enorme farsa liderada pelos Estados Unidos.
A imprensa ocidental mundial está bombardeando o resultado das eleições que reelegeram o presidente Mahmoud Ahmadinejad.
Os governos da Inglaterra, Alemanha e França insistem que o resultado foi fraudado. Repetem imagens de manifestantes pró Mir Hossein Mousavi, candidato derrotado, mas escondem as centenas de milhares de pessoas que saem às ruas em apoio a Ahmadinejad.
Muito barulho por nada.
Na verdade, o presidente do Irã é o segundo na hierarquia de poder daquele país. O número um, aquele que, por lei, tem poder de resolver qualquer problema, é esse senhor da foto ao lado, com cara de Papai Noel. Aiatolá Ali Khamenei.
Além do mais, o candidato da oposição a Ahmadinejad não é muito diferente. Todos os políticos do Irã devem se submeter às leis do Corão. Desde 1979, com a derrubada do Xá Reza Pahlevi e a tomada de Teerã pelo Aiatolá Khomeini.
Portanto, as alegações de fraude - nenhuma comprovada até o momento - são puramente especulativas e visam desestabilizar o país, ao estilo George W. Bush.
A parte séria da mídia estrangeira tenta reestabelecer a verdade.
Ken Ballen e Patrick Doherty, jornalistas do Washington Post, publicaram matéria em 15/06/2009 sob o título : O povo iraniano fala. (The Iranian People Speak - clique para ler a matéria na íntegra, em inglês).
Nela, eles lembram que pesquisa de intenção de votos realizada no Irã, três semanas antes do pleito, davam vantagem a Ahmadinejad na proporção de 2 a 1. Veja gráfico abaixo.


Clique no gráfico para ver a pesquisa completa, em pdf.
O que se percebe é o temor do ocidente em relação àqueles que não aceitam os Estados Unidos como líderes mundiais. O Irã é um caso típico de país que resiste aos apelos do capitalismo ocidental, e isso incomoda lideranças norte americanas e européias.
É difícil entender um país chefiado por um líder religioso, cujos poderes são infinitos e soberanos. Mas parece ainda mais difícil, para alguns líderes de olhos azuis, entender que a organização de certos países deve ser assim, e que a democracia-modelo que os EUA querem impor é um fracasso no oriente.
A sociedade iraniana é uma das mais antigas e bem organizada. Por maiores que sejam os apelos do capitalismo ocidental, seu povo culto e sofisticado resiste. O perigo real de ataque militar dos EUA ou Israel, ou ambos, faz com que o Irã permaneça ainda mais fiel ao Islamismo. O Iraque foi aniquilado. Os civis, subjugados pelo exército norte-americano. O Irã deve ser a bola da vez.
A farsa está armada.
***

Nenhum comentário: