25 de jun de 2009

O REI DO POP



Michael Jackson, o rei do pop, é a última manchete dos jornais.
Aos 50 anos, vítima de parada cardíaca, morreu em sua mansão em Bel-Air, Los Angeles.
Sempre foi vítima de acusações de todos os tipos; sua vida particular parecia interessar mais aos jornais que sua brilhante carreira artística.
Especulações à respeito de sua preferência sexual o levaram aos tribunais, acusado de abuso sexual contra menores. Sua genialidade como cantor e dançarino ficaram à margem das matérias jornalísticas que acusavam o negro Michael Jackson, sem nunca ter sido provado nada.
Prodígio desde criança, bateu todos os recordes em vendagem de discos. Seus shows lotavam de fãs. Com o disco Thriller, de 1982, vendeu mais de 100 milhões de cópias.
As razões que levam a imprensa a derrotar um vencedor como Jackson são bizarras. Um negro, filho de metalúrgico, pobre, lançou-se no mundo da música com imenso talento. Tornou-se milionário e alvo de inveja. Dava publicidade falar mal dele.

Morreu hoje, solitário. Uma ligação ao 911 partiu de sua casa. Enviaram paramédicos ao local. Ele já não respirava mais quando o atenderam, disse o capitão Steve Ruda, do Corpo de Bombeiros de Los Angeles.
Mais um mito chegou ao fim.
Talvez agora o deixem em paz.
***

2 comentários:

La Pasionaria Ibarrure disse...

Pensei duas coisa hoje a ouvir a notícia da morte do pop star.
Primeiro: como ele foi infeliz, ganhou muito dinheiro, na mesma proporção de sua solidão e de sua infelicidade.
Segundo: Por alguns dias a imprensa inconsequente terá assunto para encher nossos ouvidos de bobagens, deixando o Lula em paz.
Mas daí, veio o mentiroso programa do PSDB para encher nossos ouvidos de calúnias.
Espero que o PT cumpra seu papel e responda à altura.

Lúcia Orpham disse...

O pior Pasionaria é que eles vão aproveitar a audiencia por causa da morte do mito, para tentar matar outro.

Quando eu penso que já chegaram no fundo do poço eles conseguem me surpreender.