29 de jun de 2009

Transparente só no discurso.

***
atualizado em 30.07.2009 às 12h34

O senador Heráclito Fortes, do DEM, ex-PFL, do Piauí, ferrenho crítico do senador José Sarney no caso dos atos secretos, foi pego com a boca na botija. (E que boca!)
Heráclito, com uma espantosa agilidade, divulgou 663 atos administrativos do Senado Federal.
Mas esqueceu de divulgar depesas por ele autorizadas, quando presidia o Grupo Brasileiro de União Interparlamentar, no valor de R$ 700.000,00. Setecentos Mil Reais!


A revista Isto É diz que heráclito administrou meia transparência e agora é um dos protagonistas do escândalo dos atos secretos. Leia matéria clicando aqui.
Outro que gosta muito de falar as verdades que lhe convém, é o senador Arthur Virgílio, do PSDB-AM.
Pediu a cabeça de Sarney, gosta de gritar loucamente quando vê um microfone; já insultou e ameaçou o Presidente Lula e, agora, descobre-se que ele recebeu empréstimos do funcionário do Senado envolvido nos escândalos dos atos secretos, o vilão Agaciel Maia.
O Folha OnLine (clique aqui para ler a matéria, só para assinantes) diz que Virgílio teria tomado emprestado R$ 10.000,00 de Maia. Dez Mil Reais! Para pagar despesas de viagem a Paris!



Tudo confirmado pelo Subchefe do gabinete de Virgílio, Carlos Homero Vieira Nina.
Pois é.
Todos sabiam que a turma do governo anterior estava na mesma lama do senado. Os atos secretos datam de anos atrás, mas querem fazer parecer que é história recente, obra de José Sarney. Tudo porque ele - e seu partido - apóia o governo Lula.
Tempos atrás, o Coroné Zé Serra pediu a seu chefe, o nefasto FHC, para que impedisse Roseana Sarney de se lançar candidata a Presidência da República. Todo mundo sabe como esta história terminou, com a invasão do escritório do marido dela, pela Policia Federal, e a apreensão de dinheiro vivo.
Numa empresa privada.
Nunca se esclareceu o assunto. O inquérito deve ter sido arquivado, assim como a candidatura da filha de José Sarney.

Assim caminha a oposição!
-----------------------------------------------------------------------
A Folha de São Paulo, em sua edição de 30/07/2009, informa que o Subchefe do gabinete de Arthur Virgílio, Carlos Homero Vieira Nina, nomeou por ato secreto sua irmã, Ana Cristina Nina Ribeiro, em 20 de março de 2007, para cargo da direção geral do Senado, com salário de R$ 7.484,43. Sete Mil Quatrocentos e Oitenta e Quatro Reais e Quarenta e Três Centavos.
Além da irmã de Homero, o todo-poderoso senador Virgílio nomeou ainda, através de atos secretos, a mulher e os três filhos de seu subchefe de gabinete.
Ainda assim, o falante senador, líder do PSDB no Senado, julga ser um paladino da moral e da justiça, pedindo a renúncia de José Sarney.
Arthur Virgílio : vá liderar em outra freguesia!

***

2 comentários:

Lúcia Orpham disse...

Aiii Julio... tô garrando um nojo dessa gente............

Carla Marques de Souza disse...

Que beleza de oposição ... gastam o verbo pra falar mal dos outros e não lavam nem o próprio umbigo!

Esse Virgílio é mesmo um abestalhado!