16 de jul de 2009

Cruzes, Yeda!

***

8 horas da manhã de hoje, bairro Vila Jardim, em frente à luxuosa casa da governadora do Rio Grande do Sul.
Um protesto organizado pelo Fórum dos Servidores Públicos Estaduais reúne dezenas de manifestantes que pedem o impeachment de Yeda Rorato Crusius, do PSDB.
Uma réplica da escola de lata foi o modo que encontraram para protestar contra a política educacional do RS. Lá, alunos frequentam latas de aula.


Com palavras de ordem, pessoas pedem o afastamento imediato da governadora acusada de corrupção por seu próprio vice-governador.

Existem provas concretas do desvio de dinheiro do DETRAN do Rio Grande.
Uma gravação entre um assessor de Yeda e um empresário comprovam as fraudes.
A Brigada Militar é acionada. Entram em confronto. O saldo é de 6 pessoas presas, inclusive a vereadora do PSOL, Fernanda Melchionna e a presidente do sindicato dos professores do RS, Rejane de Oliveira.



Em nota, o sindicato se manifesta:
"a governadora não tem mais legitimidade para ocupar o posto e deve ser imediatamente afastada".
"Acuada por indiciamentos de dois dos seus secretários pela Polícia Federal gaúcha, por corrupção e cada vez mais desacreditada nas pesquisas de opinião, a governadora Yeda Crusius tem evitado aparições públicas, mas não consegue evitar o desgaste de sua administração", diz a nota.





O destempero da governadora é registrado pela imprensa presente no local, diante da mansão.
Usa o argumento de que seus netinhos não puderam ir à escola para fazer provas, e agride verbalmente os manifestantes.
Acusa os professores de "torturadores de crianças" e se orgulha de exibir um cartaz feito às pressas com suas ofensas.

O caso do Rio Grande do Sul é grave.
Leia postagem anterior. Rio Grande: O desmanche I (*)
A governadora dizer que o protesto é “orquestrado” e que os manifestantes “são pagos” não muda em nada sua situação; a cada dia que passa fica ainda pior. É insustentável.
Arrastar o governo até as eleições do ano de 2010 em nada adianta. Sua credibilidade, enquanto pessoa pública, eleita por maioria dos gaúchos, está se esvaindo diante das óbvias mostras de sua incompetência em lidar com situações críticas.
Sua administração já comprovou ser um desastre.
O povo gaúcho sabe que está pagando muito caro pela incapacidade administrativa e política de Yeda Crusius, que insiste em permanecer no cargo, pelo visto, até apodrecer politicamente.
As imagens falam tudo. A imprensa mais comprometida do planeta, quase nada.
Parece que o Rio Grande do Sul não existe nos telejornais brasileiros. Nada se comenta; pelo contrário, tudo está sendo jogado para debaixo do tapete, já que o partido político a qual ela pertence, o PSDB, é o preferido da midia.
Em breve, novas manisfestações irão colocar Yeda contra a parede, até que se esclareça a verdade no caso do DETRAN. Enquanto isso, cara feia e cartazes mal criados não irão intimidar o povo riograndense!
(*) Esclarecimento: Na postagem citada, de 12 de Maio de 2009, as informações eram de que o senador Pedro Simon (PMDB-RS) mantinha uma postura independente diante do episódio DETRAN, apesar de ter apoiado o governo tucano no início.
O que se nota, agora, é o silêncio do senador Simon em relação aos escândalos que envolvem a governadora de seu estado. A postura ética do senador parece não funcionar em sua terra natal. Em seus últimos pronunciamentos exigiu a renúncia do presidente do senado, José Sarney, mas não disse uma palavra sequer à respeito de Yeda Crusius.
***

Nenhum comentário: