9 de jul de 2010

A ”MARCA” DILMA ROUSSEFF NA WEB.




Pela primeira vez a internet fará parte de uma eleição a Presidente da República no Brasil.

Ninguém sabe qual é ou será o alcance da mobilização virtual; como será o desempenho da difusão e debate de idéias através da web; qual será a “cara” da campanha pela internet.

O que se sabe é que os candidatos estão mergulhando nas redes sociais atrás de voto, mesmo sem saber exatamente o que estão fazendo. Alguns, contrataram assessorias especialiazadas, mas tudo ainda é muito novo para se saber o que vai acontecer e como tirar o melhor proveito desta ferramenta.

O site M&M ONLINE, em parceria com uma empresa de monitoramento de redes sociais, iGroup, está fazendo um acompanhamento dos comentários que se faz à respeito dos candidatos nos diversos portais, blogues e redes sociais (twitter, facebook, orkut, etc.).

A idéia é conhecer a “marca” de cada candidato a Presidente da República, como ele é visto pelos internautas, quais seus pontos fortes e fracos, como sua performance é percebida, para, assim, poder iniciar um processo de compreensão da influência da internet na eleição.

Levantamento preliminar feito pelo iGroup, entre 24 de junho e 01 de julho, apresentou dados bastante significativos. Foram números que combinavam com resultados de pesquisas eleitorais realizadas por alguns dos principais institutos. Neste período Dilma Rousseff era comentada por 49% dos internautas, José Serra por 40% e Marina Silva, por 11%. Dados muito próximos dos levantamentos Vox Populi e Sensus.

No período, tanto Ibope quanto Datafolha apontavam para a queda do tucano Serra, e a análise do conteúdo dos comentários apontou que 65% das pessoas faziam comentários de caráter negativo a Serra, enquanto Dilma recebia apenas 28% de menções negativas, e Marina, 7%.

De acordo ao diretor geral do iGroup, Ricardo Almeida, mais de 33 mil comentários foram analisados em uma semana.

Dilma em alta.

Quando estudaram apenas a quantidade de citações positivas, Dilma Rousseff lidera com 39% seguida de perto por Marina Silva, com 35%. Atrás, aparece José Serra com apenas 26%. É notório o bom desempenho de Marina, sendo bem avaliada apesar de seu pequeno share nas pesquisas de intenção de voto.

Um comentário de Ricardo Almeida chamou a atenção deste blog. Ele diz: “O PT é alvo de muitas críticas e conseguimos sentir que, quando o Lula aparece fazendo campanha para Dilma, cresce o número de comentários negativos. Já a Marina era praticamente nula nas redes sociais até bem pouco tempo atrás. Agora, para se ter uma ideia, ela já registra o dobro de ocorrências que Aécio Neves registrava quando ainda havia chances do político sair candidato à presidência pelo PSDB“.

Como se pode notar na análise de Almeida, há muito o que se aprender. Mas os números iniciais demonstram que a “marca” DILMA ROUSSEFF está bem posicionada perante o eleitor, e que o estudo do comportamento do internauta pode ser decisivo no resultado da eleição.

Sinal de alerta aceso para a marca Serra.

Quem demonstra ter problemas de imagem é José Serra. Outro índice apontado pelo iGroup, o de “saúde da marca”, mostra Serra com um indice de 50,32%. Dilma registra 68,81% e Marina lidera com folga, com 80,86%.

O iGroup, para realizar o estudo, dá importância diferente aos diversos meios analisados, de acordo ao potencial de cada um. O Twitter tem peso de 40% na composição do resultado, por sua agilidade de propagação; a Blogsfera ocupa 35% deste espaço, pois é alimentada pelo Twitter mas produz análises mais profundas. A imprensa OnLine, geradora de conteúdo, recebe carga de apenas 25% por receber pouca influência de outros meios.

***

Nenhum comentário: