30 de jul de 2010

IBOPE: MARKETING DO EQUILIBRISTA.


***
Novo levantamento realizado pelo Ibope para as eleições presidenciais mostram uma virada de jogo. Desta vez, Dilma aparece 5 pontos à frente de Serra. 39 a 34.

Instituto da Rede Globo, o Ibope parece estar querendo se manter em pé sobre numa corda de equilibrista. Suas pesquisas anteriores sempre combinaram resultados com o Datafolha, outro legitimo representante da direita colonialista brasileira; ambos confrontavam números distintos com Sensus e Vox Populi, que colocam a candidata do PT à frente nas últimas sondagens.

O Ibope tem diante de si um caminho muito perigoso a percorrer. Recolocar a verdade em suas pesquisas é o único caminho que resta para recuperar o equilibrio. O risco de queda é grande, porisso deverá tomar muito cidado com cada passo que der daqui em diante.

Ao tentar se ajustar à realidade, Ibope assume uma postura de marketing que pode lhe trazer problemas. Seus clientes privados, empresas que se utilizam da ferramenta de pesquisa para lançar produtos no mercado, poderão desconfiar da seriedade da empresa.

Numa situação hipotética, se um cliente pretende colocar no mercado um novo produto e encomenda uma pesquisa Ibope, correrá o sério risco de basear seu planejamento estratégico em números pouco confiáveis, e obter resultados imprevisíveis.

Se, de um lado, pesquisas de intenção podem servir de balisa para determinadas ações, seja no campo politico, seja no mundo dos negócios, por outro, a divulgação de números mentirosos pode levar a grandes erros de planejamento. Este blog, há tempos, não acredita nas divulgações das estatisticas publicadas pelo Ibope ou Datafolha, principalmente no campo da politica, onde a manipulação está cada vez mais evidente e à favor da direita conservadora brasileira.

Quem não lembra que o proprietário do Ibope, Carlos Montenegro, declarou, ainda no inicio deste ano, que Dilma Rousseff não seria eleita Presidenta da República? É assim que estes "empresários" atuam, criando e espalhando histórias inventadas ou sacadas de suas bolas de cristal!

Para ir um poco mais longe, em breve teremos o inicio da propaganda gratuita no rádio e TV e o maior cabo eleitoral da candidata Dilma aparecerá para dizer que a apóia. Se hoje, segundo o Ibope, o PT mantém 5 pontos de vantagem, essa distância deverá aumentar sensivelmente, pois é sabido que grande quantidade de eleitores ainda não sabe qual a preferência de Lula.

Assim se está construindo a democracia no Brasil. Enquanto uns, os de sempre!, insistem em manipular e mentir para a opinião pública, um novo meio de comunicação em massa está oferecendo a oportunidade de cada um escolher sua fonte de informação, a internet.

***

27 de jul de 2010

ESTRATÉGIA (TUCANA) DO TERROR.

***

A esperança da oposição, neste final de julho, era chegar ao início de agosto com alguma vantagem nas pesquisas. Não conseguiram. Tudo indica, ao analisar o discurso do candidato Serra e de seu vice, Da Costa, que será reeditada a estratégia do terror de 2002.

O alvo é a parcela mais conservadora da sociedade brasileira; aqueles indivíduos que ainda temem o Partido dos Trabalhadores, os comedores de criancinhas e os comunistas. Pode parecer incrivel, nos dias de hoje, mas existem muitas pessoas que pensam desta forma.

A campanha da direita começou a identificar este tipo de eleitor e descobriu que uma boa parcela começa a aderir a Dilma Rousseff. O medo da oposição é perder estes votos, então partiram para o ataque.

Não é à toa que Serra citou, mais de uma vez, o MST – Movimento dos Sem Terra e o Presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Estes simbolos da esquerda apavoram o eleitor conservador, e Serra está tentanto amedrontar as pessoas com esta mensagem subliminar.

As palavras de Serra não soam muito agressivas, pois o limite entre a verdade e a mentira é tênue; Da Costa, o vice, por ser uma figura totalmente inexpressiva, foi incumbido de dar os golpes mais fortes na candidata da situação, porisso a menção às FARC e ao narcotráfico. Aliás, menção que irá lhe custar um processo, de tão fantasioso que é.

Foi assim quando a atriz Regina Duarte, simpatizante de Serra, foi à TV em 2002 dizer que tinha medo. Medo dos comedores de criancinhas, dos comunistas. Está se desenhando outra vez a mesma história.

Entretanto, ao se utilizar de um discurso terrorista, a direita corre o sério risco de despencar ainda mais nas sondagens de opinião. Passados oito anos de governo petista, com o operário Lula comandando a nação e trazendo crescimento com distribuição de renda, deverá ser dificil fazer acreditar que o país se transformará numa Cuba. O eleitor brasileiro, hoje, muito mais ligado aos acontecimentos, sabe da responsabilidade que Lula assumiu ao indicar sua candidata favorita. O risco de uma virada de mesa num próximo governo do PT é nulo.

Em 17 de agosto, Lula abrirá o programa do PT na televisão, como apresentador da candidata Dilma Rousseff. Com uma aprovação popular estratosférica, pedirá votos para seu partido. A continuar neste ritmo, Dilma estará consolidada na liderança da corrida, restando à oposição nada mais que atacar e meter medo. Não funcionou em 2002. Nem funcionará agora.

Como já disse neste blog outras vezes, é uma pena para a democracia termos uma oposição tão pifia, tão sem discurso e tão repleta de amadores.

***

Muito se falou, nesta semana, sobre este ou aquele candidato participar, ou não, de debates. A oposição – e boa parcela do jornalismo corporativo – vem insistindo na realização de debates entre os candidatos para que o eleitor possa criar seu juizo à respeito de cada um.

Sabe-se que o debate ao vivo, seja pela TV, rádio ou internet, não dá votos a nenhum candidato. Não há vencedores; os simpatizantes de cada candidato sempre afirmam que seu preferido foi melhor. Historicamente, desde o debate entre Kennedy e Nixon, em 1960, as assessorias de cada partido preparam seu candidato para uma exibição teatral. Sorrisos, olhares para a câmera certa, timbre de voz, figurino de acôrdo ao cenário. Tudo é planejado, porisso não há grandes conquistas ou perdas de voto no debate.

O que há – e aí é que está a insistência da midia – é uma grande cobertura para o debate; indices de audiências que aumentam, cenas de bastidores, da chegada do candidato, dos assessores, entrevistas com os marqueteiros, enfim, a repercussão dada pela imprensa é que faz valer o debate.

Como se sabe, a edição de um debate ao vivo, no telejornal do dia seguinte, pode dar ou tirar votos. Como aconteceu em 1989, entre Collor e Lula, na famosa edição maldosa da Globo que elegeu Collor.

Mas nem isso será mais possivel, porque os candidatos sabem exatamente o quê falar, com quem, em que tom, olhando para quem. Isso já não funciona. Para desespero da midia golpista.

***

26 de jul de 2010

AS MULHERES E A ARMADILHA.


***
ONDE ESTÁ A DIFERENÇA NAS PESQUISAS VOX POPULI E DATAFOLHA
.
A diferença entre os resultados dos Institutos Datafolha e Vox Populi são enormes e, desconsiderando a possibilidade de algum tipo de fraude intencional, alguns números podem expressar a realidade.
O voto feminino.

O Datafolha faz sua pesquisa, basicamente, pelo telefone e em pontos de movimento de transeuntes, enquanto o Vox Populi sai a campo em busca de entrevistas, inclusive, nas residências. Pode estar aí a armadilha dos números. Talvez seja a intenção do Datafolha usar esta metodologia para obter um resultado desejado; a depender de como se formulam as perguntas e de como é escolhido o campo de trabalho, o resultado vai variar.

No Datafolha, o voto das mulheres é oito pontos percentuais maior para Serra. No Vox Populi, a diferença praticamente não existe. Provavelmente, ao atingir as "donas de casa", o Vox alcança mais amplitude e veracidade da situação de momento, pois as "donas de casa" também votam e são em número bastante expressivo!

Outro fator relevante na análise do voto feminino é o voto das mulheres em Marina Silva. A maioria das mulheres que a escolhem como candidata preferida são pessoas das classes A e B. As mulheres das classes C e D ainda não se manifestaram ou não foram ouvidas. Estas, por fazerem parte da camada da população atendida pelos programas sociais do governo, deverão votar em massa na candidata de Lula.

O esforço da oposição, para tentar anular esta condição, deverá se basear na união entre Serra e Marina. Um fará afagos no outro; ambos atacarão Dilma. Esta é a chance para levarem a eleição para o segundo turno.

Além desta constatação, é possivel afirmar que o empate técnico do Datafolha é favorável à candidata do Partido dos Trabalhadores, Dilma Rousseff.

Isto porque, ao observar que a maioria dos entrevistados deste Instituto acredita que Dilma vencerá as eleições, pode-se entender que a campanha do PT está sendo mais eficiente, mais visivel, mais barulhenta do ponto de vista da percepção do eleitor.

E, ainda, aqueles que acreditam que a transferência de votos do Presidente Lula para sua candidata já atingiu seu limite, estão enganados. Isto deverá acontecer com maior intensidade quando começar a propaganda no rádio e na TV.

Portanto, mesmo com o Datafolha tentando empatar os candidatos; por maior que seja o esforço da midia em colocar seu candidato como favorito, sabemos que Dilma Rousseff tem chances reais de vitória até com certa margem de tranquilidade. Hoje, parece nitida a reeleição do PT para o cargo máximo do executivo federal.

E pensar que em Janeiro deste ano jornais publicaram matérias apontando a possibilidade de vitória da oposição, de Serra, no primeiro turno. Pretendiam que ele estivesse em vantagem depois da Copa do Mundo de Futebol. Deram com os burros n'água!

E terão que engolir mais 4 ... ou 8 ... anos de governo que gera renda e a distribui.
***

24 de jul de 2010

MAIS PESQUISA.

***
MENOR DESEMPREGO E MAIOR RENDA

Análise mais apurada da pesquisa DATAFOLHA publicada hoje, mostra um quadro politico bastante diferente de todos até agora. Esta campanha eleitoral tem ingredientes nunca antes vistos na história deste pais.

A começar pelo quadro econômico-social, o Brasil encontra-se, hoje, numa posição invejada por muitas nações, inclusive, as mais desenvolvidas. O nivel de desemprego despenca; hoje em 7%, um dos menores da série histórica do levantamento. O nivel de renda em crescimento - hoje é R$ 1.420,00 ao mês - é o maior registrado para um primeiro semestre.

Previsões realistas apontam para um crescimento do PIB, em 2010, da ordem de 7%, recorde das últimas duas décadas. Acredita-se que, com a atual politica econômica, é possivel diminuir ainda mais a pobreza e a miséria do Brasil, trazendo cada vez mais gente para a classe média. Aliás, esta foi uma afirmação de Dilma Rousseff em enrevista ao R7. Disse que pretende ampliar a classe média através dos programas sociais que têm dado resultado positivo.

Agora, as análises do Datafolha.

Apesar de apresentar um quadro de empate técnico, para a disputa à Presidência da República, todos os estratos da população pesquisada (sexo, idade, escolaridade e renda) acredita em vitória de Dilma Rousseff. Entre os mais ricos e escolarizados, inclusive, 51% acham que Dilma vencerá, enquanto apenas 30% acreditam em Serra.

A pesquisa mostra, ainda, melhor desempenho da candidata do PT, Dilma Rousseff, nas regiões mais pobres do Brasil, como ocorreu no primeiro turno da eleição de 2006 entre Lula e Alckmin. A região nordeste, principalmente, vota maciçamente no PT, provavelmente por ser mais beneficiada pelos programas sociais do governo federal, que diminui a pobreza pelos programas sociais. Em 2006, Lula obteve espetacular vantagem no Brasil mais pobre; Dilma deverá se beneficiar igualmente. Hoje, são menos pobres que há 4 anos, mas a "nova classe média" certamente votará no PT por ter tido oportunidade de ascensão.

É inegável que o aumento da renda através do emprego gerou melhores condições de vida para, pelo menos, 32 milhões de pessoas antes desassistidas. Esta legião de eleitores, com certeza, será decisiva na eleição de outubro.

Como disse Bill Clinton, certa vez, "é a economia que ganha eleição, estúpido!"
***

PESQUISAS ELEITORAIS.

***
Dois Institutos publicaram, esta semana, suas pesquisas de intenção de voto para Presidência da República.

Os resultados são bastante divergentes.

O VOX POPULI dá 8 pontos de vantagem a Dilma Rousseff. DATAFOLHA, aponta um empate técnico.

Um dos dois mente. É evidente a constatação que, num mesmo intervalo de tempo, uma diferença tão grande, um dos dois manipula resultado.

Mas um dado, divulgado pelo DATAFOLHA, mostra qual dos dois Institutos pode estar mentindo:
Na pesquisa espontânea, quando não é mostrada a ficha com os nomes dos candidatos, Dilma tem 21% das preferências enquanto Serra, 16%. Pode estar aí o conflito de resultados entre Vox Populi e Datafolha.

Quando o assunto é rejeição, a candidata do Partido dos Trabalhadores leva vantagem sobre seu adversário da direita. Serra é rejeitado por 26% dos entrevistados, enquanto Dilma, por 19%.

Todas as amostras de pesquisa apontam para a consolidação do crescimento de Dilma. Mesmo com manipulação de números, está cada vez mais proxima a vitória da situação.

Este blog acredita na vitória em primeiro turno de Dilma Rouseff.

***

Foram divulgados pelo Datafolha os resultados de sondagens para Governador em alguns estados.

No Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais, Pernambuco e Rio Grande do Sul, os candidatos apoiados por Lula tem grande possibilidade de vitória no primeiro turno.

Em São Paulo e DF, a vantagem é dos candidatos apoiados por Serra.

***

O indice de aprovação popular ao governo Lula do PT ficou em 77%.

***

23 de jul de 2010

MANUAL DO MENTIROSO.

***
Passo a passo, aprenda a construir mentiras.
By Folha de São Paulo.

Lição #1 - Antes de mais nada, escolha o alvo. A FSP recomenda que seja, de preferência, o Presidente Lula.

Lição #2 - Pesquise um assunto que possa criar dúvidas na mente do leitor.

Lição #3 - Invente um título, uma "chamada", que atraia o leitor e, ao mesmo tempo, coloque dúvidas em sua cabeça. A imensa maioria dos leitores de jornal lê, apenas, a manchete. Porisso, dê ênfase à mentira.

Lição #4 - O texto correspondente ao título deve ser mais contido. A explanação da mentira precisa ser controlada sob pena de perda de credibilidade.

Lição #5 - Caso use números, prefira aqueles que possam ser usados a seu favor. Números contrários a seus ideais podem ser mencionados, mas com pouco destaque para não "derrubar" a mentira.

Lição #6 - Se perceberem a "barriga", defenda-se dizendo que foi erro de digitação.

***

A Folha de São Paulo não tem jeito.
Mesmo depois de reafirmar sua independência editorial - clique aqui para ler o EMBROMATION DA FOLHA - o jornal não perde a linha mentirosa de ação.

Repare nas imagens abaixo, colhidas da edição eletrônica do portal UOL, de propriedade da FSP.
Ambas foram printadas na data de hoje, 23 de Julho.

As duas associam o ex-Presidente Collor a Lula. A manchete de uma mente ao atribuir "maioria". A outra, afirma que 23% dos alagoanos acreditam que Collor é o candidato de Lula.

A mentira consiste em afirmar que 23% é maioria.
Foi o que afirmou a colunista Mônica Bergamo. Entretanto, ao ler a matéria, o texto não repete a palavra "maioria" e diz, inclusive, que 17% dos mesmos alagoanos acreditam que Lula é o candidato preferido de Teotônio Vilella Filho, candidato da oposição.

Como se percebe, a maneira intencional de provocar dúvidas na mente do leitor seguiu à risca o Manual do Mentiroso da Folha.

Repare na imagem abaixo: 23% acham que Collor é o candidato de Lula.
(Clique na imagem para ampliar).


Agora vejam esta outra imagem, que afirma que Maioria dos alagoanos acredita que Collor é o candidato de Lula.
(Clique na imagem para ampliar).

Agora, cada um que tire suas próprias conclusões.
***

22 de jul de 2010

O PERTURBADO.

***
UM VICE FALANTE

O candidato a vice na chapa da direita, Da Costa, está emocionalmente perturbado por causa da exposição midiática.

Nunca antes na vida este rapaz foi tão falado e apontado. Afinal, sua carreira politica, até ontem, resumia-se a absolutamente nada! Um completo desconhecido do Brasil. Tanto, que este blog o confundiu com um cacique de verdade, na postagem AMADORES.

De uma hora para outra, do nada, seu nome é alçado às manchetes de jornais. Todos queriam saber quem era Da Costa. Holofotes e microfones apontaram para seu nariz. Então ele teve que se manifestar. Era tudo o que não contava a assessoria de campanha tucana. Um vice falante!

O desastre começou quando sua boca se abriu e ele, empolgadão, falou o que achava que deveria falar. Não tiveram tempo de prepará-lo, porisso ele proferiu bobagens. Bem a altura de sua capacidade intelectual; bem dentro daquilo que a direita é.

Acusou Dilma Rousseff de ligação com as FARC, o terrorismo e o narcotráfico; chamou-a de atéia (provavelmente visando ofendê-la); apontou seu dedinho para o Partido dos Trabalhadores e acusou todo mundo de ser tudo. Todos eram tudo!

Um discreto telefonema o convocou a ir a Higienópolis, bairro elegante de São Paulo, para uma conversinha no luxuoso apê de FHC, o nefasto. Curto e grosso: Mandaram-no calar a boca!

Como resultado da abertura de sua boquinha, o Ministério Público acatou denúncia por calúnia e difamação; Da Costa irá responder o processo em liberdade, mas corre o risco de condenação pecuniária. O PT ganhou o direito de resposta para apresentar no mesmo site onde Da Costa acusou Dilma.

Ficou evidente que a fama relâmpago do rapaz o perturbou.
Imagine, caro leitor deste blog, o sujeito assumindo a Vice-Presidência.

***

18 de jul de 2010

O EMBROMATION DA FOLHA.

***
A Folha da Barão de Limeira publicou uma espécie de editorial, fora do espaço normalmente usada para esta finalidade, com o objetivo de embromar seus leitores. 

Assinante da FSP/UOL tem acesso aqui à integra do texto, publicado na edição impressa deste domingo e no portal UOL.

A cara de pau é tamanha, que chegam a firmar que "...diferentemente do que ocorre em jornais de outros paises (...) a Folha não apoia nenhuma candidatura".

Ora, se não apoia, como pretendem nos fazer acreditar, quais as razões para tantos ataques contra o Partido dos Trabalhadores e sua candidata, Dilma Rousseff? Qualquer pessoa pouco mais atenta verá, ao folhear as páginas do diário paulistano, que a quantidade de matérias que visam denegrir a imagem da candidata do PT é infinitamente maior que as contra o demotucano Serra.


Recentemente, um colunista do UOL, de nome Messias, Farias, Josias, sei lá, publicou charge de um cartunistas retratando Dilma Rousseff como prostituta. Isso, por acaso, é elogio a uma mulher?

A própria ombudsman da Folha, Suzana Singer, relata que "a maioria das reclamações politicas que recebo é sobre uma suposta proteção ao candidato do PSDB".

A falta de ética do jornal consiste na negação do apoio velado ao candidato da direita. Bastasse assumirem, como fazem os jornais dos EUA The New York Times e The Washington Post que, em seus editoriais, assumem apoio a um candidato. Seus leitores, pelo menos, conhecem o terreno onde pisam.

A Folha prima por fazer exatamente o inverso. Iludir, ludibriar, enganar, mentir.

O bom e velho EMBROMATION!

***

17 de jul de 2010

RECEITA DE VICE MANIPULADO.

***
A desastrosa campanha presidencial da oposição começou a apelar.
Nem tanto pela escolha do inexpressivo Indio da Costa, mas pela forma de usá-lo, bem ao estilo de quem não tem nada a dizer.

Numa campanha onde o candidato principal da coligação da direita não pode atacar o Presidente Lula, por sua alta aprovação popular, usa a boca de Indio da Costa para dizer o que ele não tem coragem.

O Noticias Terra publicou hoje noticia de que Indio teria acusado o Partido dos Trabalhadores de ter ligação com as FARC e o narcotráfico. Clique aqui para ler.

Mais tarde, o vice de Serra teria dito no twitter que Dilma é atéia.

A receita é simples. Registra-se uma candidatura no TSE com um vice que não tenha nenhuma expressão politica. Dá-se a ele um roteiro de coisas a dizer quando surgir um microfone ou um holofote e ele segue o script. Qualquer problema, joga-se a culpa toda no sujeito, já que ele e nada é a mesma coisa.

Os delirios demotucanos afetaram, definitivamente, a sanidade de seus candidatos.

***

DA AGONIA À QUEDA..

***


Com o quê embrulharemos o peixe na feira?

Há mais de um ano ano que a redação do jornal do bairro do Rio Comprido, no RJ, agoniza diante de inúmeros problemas finaneiros. O Jornal do Brasil, fundado há quase 120 anos, caiu no último dia 29, quando seu proprietário, Nelson Tanure, anunciou o fim da tiragem impressa do periódico. Continuam apenas as edições pela web.


Com um passivo na casa do bilhão de reais, a empresa acumula dívidas trabalhistas e fiscais; teve suas receitas bloqueadas para quitação destes débitos e afugentou anunciantes. O resultado é esse. Jogar a toalha foi a solução.

Mais do que apenas a quebra de uma empresa, o fim do JB representa um sinal para a grande imprensa. Mostra como é possivel, mesmo para um ícone, perder consistência financeira quando falta capacidade de visão. Os veiculos de comunicação impressos estarão condenados ao desaparecimento à medida que o público leitor tiver acesso à informação instantânea; a banda larga é o caminho inexorável que irá fulminar o bom e velho jornal. Fica a dúvida de como será embrulhado o peixe na feira livre dali em diante.

O que impressiona, entretanto, é a manutenção do velho estilo de fazer jornalismo da grande midia. Não só o JB, mas todos os grandes jornais impressos do Brasil mantém a mesma postura editorial, alinhados à direita conservadora que lhes rendeu bom faturamento enquanto no poder. Quer dizer, sempre se postaram contra a presença do Estado na economia; fervorosos defensores do liberalismo econômico e da livre iniciativa, mantinham relações estreitas com o poder politico e, em troca de suas publicações favoráveis, recebiam maciços investimentos em publicidade oficial.

É notório o descontentamento da imprensa conservadora, principalmente a impressa, com o governo do PT que distribui verbas de publicidade para milhares de outras publicações, como pequenos jornais de bairro. A democratização da verba oficial nunca foi bem vista pelos grandes empresários do setor. Estranhamente, aqueles que são contra a presença do Estado na economia.

O cinismo da midia comprometida até o pescoço com a direita está evidente na cobertura inicial da campanha eleitoral que começou este mês. Pela volta da influência no poder, distribuem manchetes desfavoráveis à candidata do PT, Dilma Rousseff, na esperança de eleger seu candidato preferido.

Não se deram conta de que tecnologia aliada à falta de credibilidade os está levando pela mesma trilha do JB. A queda definitiva.
***

16 de jul de 2010

A CAMINHO DA DEMOCRACIA.

***

Estamos próximos de completar o mandato do Presidente Lula, que se encerra no último dia de 2010. Terá sido o segundo Presidente da República a cumprir seus mandatos depois de Juscelino Kubitchek. Mandatos eleitos pelo voto popular, diga-se.

Terá sido mais um ciclo da jovem democracia brasileira a ser cumprido. Desde JK, passamos por um período obscuro da História politica brasileira. A renúncia de Jânio Quadros, a deposição de João Goulart pelo golpe militar que se apossou do poder e nos impôs uma série de generais; José Sarney assumiu pelo colégio eleitoral após a morte de Tancredo Neves; as primeiras eleições livres pós-ditadura nos brindaram Fernando Collor, cassado, e Itamar Franco, que governou pelo resto do tempo na qualidade de Vice-Presidente. Então Fernando Henrique Cardoso, aquele que fez aprovar a reeleição em benefício próprio, foi eleito duas vezes e terminou seu mandato. Agora, Luiz Inácio Lula da Silva no final de seu segundo mandato.

A democracia pareceu estar consolidada. Estes últimos 16 anos nos provam que, politicamente, as Instituições ganharam força e respeito; não existe a menor possibilidade de golpes de Estado ou impedimento que possam nos fazer regredir. Mas ainda não vivemos num estado de plena democracia.

Estamos a caminho, é verdade, mas há longas e árduas batalhas a serem enfrentadas. O povo brasileiro, agora mais maduro politicamente, torna-se capaz de olhar a real condição institucional em que se encontra o Brasil e decidir, pacificamente, pelo voto, seu futuro.

A condição básica e essencial para atingirmos a verdadeira democracia está solidificada. Apesar de todos os problemas, próprios de um regime como o nosso, temos a verdadeira percepção de quais são nossas reais necessidades: a igualdade econômica e social.

Não existe uma Nação verdadeiramente democrática que tenha parte de seu povo em condições sociais deploráveis. Pobreza e miséria são os grandes inimigos a enfrentar e, no capitalismo, a única saída é a distribuição de renda através do emprego.

É o que Lula propôs desde seu primeiro mandato, e o que Dilma Rousseff anuncia como sua seguidora. A doutrina petista da criação de emprego e geração de renda é, sem a menor sombra de dúvida, o único caminho possivel para alcançarmos a democracia plena. Tomo como exemplo o discurso dos candidatos a cargos majoritários pela direita, sobretudo os demo-tucanos, que, a esta altura, afirmam que são os criadores do FAT e do Seguro Desemprego.

O FAT – Fundo de Assistência ao Trabalhador – é um mecanismo que permite que recursos sejam disponibilizados para geração de empregos e desenvolvimento técnico-profissional; o Seguro-Desemprego é um benefício social que auxilia o trabalhador demitido no período em que não está na ativa. São dois instrumentos de politica social que afetam diretamente a vida do cidadão mais pobre, assalariado, que, portanto, deve ser o maior beneficiário dos recursos públicos.

Se a oposição, à direita, brada orgulhosa ter responsabilidade direta na criação destes benefícios, está dizendo à população que concorda com a geração e distribuição de renda. Que está atenta aos problemas sociais das camadas mais inferiores da pirâmide. A oposição, ao dizer que vai ampliar o Bolsa-Familia, está creditando a Lula e ao PT a qualidade de terem escolhido o caminho certo.

É um sinal. Aqueles da direita que pretendem tomar o poder pelo voto estão afinando o discurso àquele que a esquerda sempre teve: crescimento com distribuição de renda e emprego. Aparentemente, nada mais óbvio. Mas só aparentemente.

O fato relevante é que a direita sempre esteve no poder das decisões deste país. Civil ou militar, sua politica econômica nunca foi capaz de distribuir renda; gerou empregos em certo período da história, em plena ditadura militar, nos anos do “milagre econômico”, quando tomavam dinheiro dos países ricos a juros enormes e comissões generosas. Deixaram uma herança de dívidas monstruosas que todo o povo brasileiro teria que pagar. As politicas sociais da direita, quando existiam e eram praticadas, não passavam de assistencialismo paliativo, mantendo a ignorância politica à margem da sociedade, angariando votos de gente faminta e sem qualquer chance de acesso social através de um par de sapatos e uma dentadura no mês da eleição!

Estes últimos 8 anos, entretanto, estarão marcados para sempre na História do Brasil. Não apenas Luiz Inácio, mas todas as pessoas do Governo Federal que dedicaram-se a colocar em prática o projeto do Partido dos Trabalhadores. Todas elas. O ganho social do Brasil no período Lula foi estraordinário e sem precedentes; uma legião imensa de marginalizados passou a ter acesso a uma vida mais decente, a trabalho, a comida, a lazer. Nunca antes na história deste país houve tamanha redução de miséria quanto nestes últimos anos. Nunca!

Ainda falta. Muito. Ainda não vivemos a democracia plena porque há miseráveis que sobrevivem de restos; há doentes sem hospital e crianças fora das escolas. Ainda há pobreza no Brasil.

Mas o fato positivo é que deixamos de ter pobreza crônica. Hoje, e nos próximos anos, centenas de milhares de pessoas passarão a ter melhores condições de vida. O IPEA avaliou que podemos extinguir – definitivamente – a miséria no Brasil até o ano 2016. Ou seja, a continuarmos a trabalhar pela democracia verdadeira, em seis anos podemos estar vivendo num país mais justo.

O caminho já é conhecido. Os instrumentos podem ser aperfeiçoados, é claro. Sabemos, ainda, quem são as pessoas capazes de dar seguimento ao que se está fazendo hoje no Brasil, às transformações radicais, à inserção do país no restrito clube de nações respeitadas.

Só nos resta votar. Avançar, já que nasceu um Brasil melhor.

***

15 de jul de 2010

OPOSIÇÃO, ECOLOGIA E O LAMPIÃO.

***

15 de Julho será um marco na História do Brasil. Foi feita a primeira exploração comercial de petróleo da camada do Pré-Sal; o início da uma era de desenvolvimento baseado na receita da extração de petróleo.

Entretanto, a midia mais comprometida do planeta já tratou de arranjar uma versão sem fundamento, uma mentira deslavada à respeito da exploração de petróleo.

“Especialistas” andam dizendo – amparados por gente do Greenpeace – que a exploração de óleo em águas profundas provoca o risco de vazamento, como o ocorrido nos EUA. É claro que existe o risco e a tragédia ambiental seria enorme. Por outro lado, existe a possibilidade de não acontecer coisa alguma, de não vazar petróleo e não contaminar o oceano. É igualmente óbvio.

Este raciocínio pequeno e mal intencionado quer, em tom de alerta, fazer ameaças; é tão estúpido e insustentável que nenhum membro do governo respondeu. A seguir esta linha de pensamento, deveriam proibir aviões de levantar vôo sob risco de queda, que existe!

Outra maldade que ouvi de alguns jornalistas é a critica puramente politica à exploração do Pré-Sal. Na Globo (tinha que ser!) disseram que não temos razões econômicas para explorar petróleo porque, há pouco mais de um ano, o governo decidiu investir no programa do álcool combustível.

Querem dizer, então, que devemos abrir mão do dinheiro que está depositado sob o mar? Preferem que fiquemos sentados sobre uma enorme quantidade de riqueza só porque temos terra para plantar cana-de-açúcar? Quanta mediocridade!

O que se está propondo – e concretizando – é explorar a riqueza que move o mundo industrial de hoje. O petróleo, como recurso natural e finito, serviu e serve de base de desenvolvimento das maiores nações do planeta, EUA principalmente. Perguntem a Mr. Obama se ele não perfuraria o Pacifico inteiro se pudesse extrair combustível ... com ou sem risco ambiental, ele faria tantos buracos quanto fossem preciso para tirar energia!

Cínicos e mentirosos, a oposição lança dúvidas criminosas pela imprensa tentando desacreditar o Pré-Sal. Sabem que os recursos que poderão advir desta extração podem nos colocar, de forma definitiva, no mundo desenvolvido. Se o PT vencer as eleições de 2010 será ainda pior para a direita mesquinha, pois Dilma terá nas mãos a possibilidade de enriquecer o país e usar estes recursos para sanar os problemas mais graves que ainda temos. Com crescimento, distribuição de renda e investimento público pesado.

Dilma vai vencer e governar por 4 anos. Depois será reeleita porque fará um ótimo governo. Estes oito próximos anos serão decisivos e a direita sabe, porisso a fúria acusatória sem sentido.

Desnorteados e sem discurso, talvez a imprensa prefira que voltemos a usar lampião a gás!

***

9 de jul de 2010

CHARGE OFENSIVA.


***
Há pouco tempo atrás, um blogueiro foi notificado pelo departamento jurídico da Folha de São Paulo por ter colado em seu blog imagem que o jornal achou ofensiva.

Clique aqui para ler postagem sobre a censura feita pelo blogueiro notificado.

A imagem ao lado foi considerada ofensiva pela empresa Folha de São Paulo por conter a logomarca do jornal. Usaram do expediente intimidatório para fazer remover imagem depreciativa de sua marca. O blogueiro retirou do ar as imagens para não sofrer consequências maiores.

Entretanto, o mesmo jornal se dá o direito de publicar em seu portal de noticias UOL uma charge, do cartunista Nani, retratando a candidata Dilma Rousseff como prostituta. Este blog não vai reproduzir a imagem por julgá-la ofensiva à pessoa Dilma Rousseff e às mulheres em geral.

A lógica comercial da Folha fica evidente com estes dois episódios: se afeta a empresa, manda o jurídico agir; se afeta uma pessoa que se pretende desmoralizar, vale a publicação.

Coisa de canalha, de gente sem escrúpulo, como os editores da Folha e do UOL, que se presta a difundir ofensas com o único objetivo de tentar eleger seu candidato preferido.
***

A ”MARCA” DILMA ROUSSEFF NA WEB.




Pela primeira vez a internet fará parte de uma eleição a Presidente da República no Brasil.

Ninguém sabe qual é ou será o alcance da mobilização virtual; como será o desempenho da difusão e debate de idéias através da web; qual será a “cara” da campanha pela internet.

O que se sabe é que os candidatos estão mergulhando nas redes sociais atrás de voto, mesmo sem saber exatamente o que estão fazendo. Alguns, contrataram assessorias especialiazadas, mas tudo ainda é muito novo para se saber o que vai acontecer e como tirar o melhor proveito desta ferramenta.

O site M&M ONLINE, em parceria com uma empresa de monitoramento de redes sociais, iGroup, está fazendo um acompanhamento dos comentários que se faz à respeito dos candidatos nos diversos portais, blogues e redes sociais (twitter, facebook, orkut, etc.).

A idéia é conhecer a “marca” de cada candidato a Presidente da República, como ele é visto pelos internautas, quais seus pontos fortes e fracos, como sua performance é percebida, para, assim, poder iniciar um processo de compreensão da influência da internet na eleição.

Levantamento preliminar feito pelo iGroup, entre 24 de junho e 01 de julho, apresentou dados bastante significativos. Foram números que combinavam com resultados de pesquisas eleitorais realizadas por alguns dos principais institutos. Neste período Dilma Rousseff era comentada por 49% dos internautas, José Serra por 40% e Marina Silva, por 11%. Dados muito próximos dos levantamentos Vox Populi e Sensus.

No período, tanto Ibope quanto Datafolha apontavam para a queda do tucano Serra, e a análise do conteúdo dos comentários apontou que 65% das pessoas faziam comentários de caráter negativo a Serra, enquanto Dilma recebia apenas 28% de menções negativas, e Marina, 7%.

De acordo ao diretor geral do iGroup, Ricardo Almeida, mais de 33 mil comentários foram analisados em uma semana.

Dilma em alta.

Quando estudaram apenas a quantidade de citações positivas, Dilma Rousseff lidera com 39% seguida de perto por Marina Silva, com 35%. Atrás, aparece José Serra com apenas 26%. É notório o bom desempenho de Marina, sendo bem avaliada apesar de seu pequeno share nas pesquisas de intenção de voto.

Um comentário de Ricardo Almeida chamou a atenção deste blog. Ele diz: “O PT é alvo de muitas críticas e conseguimos sentir que, quando o Lula aparece fazendo campanha para Dilma, cresce o número de comentários negativos. Já a Marina era praticamente nula nas redes sociais até bem pouco tempo atrás. Agora, para se ter uma ideia, ela já registra o dobro de ocorrências que Aécio Neves registrava quando ainda havia chances do político sair candidato à presidência pelo PSDB“.

Como se pode notar na análise de Almeida, há muito o que se aprender. Mas os números iniciais demonstram que a “marca” DILMA ROUSSEFF está bem posicionada perante o eleitor, e que o estudo do comportamento do internauta pode ser decisivo no resultado da eleição.

Sinal de alerta aceso para a marca Serra.

Quem demonstra ter problemas de imagem é José Serra. Outro índice apontado pelo iGroup, o de “saúde da marca”, mostra Serra com um indice de 50,32%. Dilma registra 68,81% e Marina lidera com folga, com 80,86%.

O iGroup, para realizar o estudo, dá importância diferente aos diversos meios analisados, de acordo ao potencial de cada um. O Twitter tem peso de 40% na composição do resultado, por sua agilidade de propagação; a Blogsfera ocupa 35% deste espaço, pois é alimentada pelo Twitter mas produz análises mais profundas. A imprensa OnLine, geradora de conteúdo, recebe carga de apenas 25% por receber pouca influência de outros meios.

***

4 de jul de 2010

DE ANALISTAS A CRIMINOSOS.

***

A cobertura dos jogos do Brasil na Copa do Mundo retratam a maneira como são feitas as "análises" no país do futebol.

Mais que isso, expõem a verdadeira face dos interesses de certos grupos econômico-midiáticos que sempre dominaram a "verdade". No futebol, na politica, no cotidiano de seus leitores/audiência.

Um fato relevante está evidente em todas as manchetes dos grandes veiculos de comunicação: a responsabilização da perda do "hexa" a um único jogador, aquele que foi escolhido pelo treinador sem o respaldo da midia "especializada". Felipe Melo.

Acusam-no ter feito o gol-contra no jogo contra a Holanda. A FIFA, ao rever as imagens, creditou o gol ao atacante holandês Sneijder, mas a Globo e outros, preferem culpar Melo.

As consequências já começaram. Ao desembarcar no Rio, precisou ser escoltado por seguranças; foi xingado e, se pudessem, teriam-no agredido.

Minha pergunta é: foi só Felipe Melo o responsável pela derrota?

Parece óbvio que não. Mesmo não sendo analista de futebol, me parece que um esporte onde 11 atletas atuam ao mesmo tempo, no mesmo time, não podem ser prejudicados por apenas um. Mas Melo foi julgado e acusado, agora corre o risco de ser executado.

Assim é a imprensa brasileira. Certos elementos, que se consideram "analistas" e detém um microfone, usam de seus instintos mais primários para "analisar". Não levam em conta os resultados, as condições, nem que do outro lado havia uma equipe. Apenas acusam, de preferência, depois do jogo, quando o resultado não foi favorável. Teria a seleção brasileira vencido a Copa, o discurso, certamente, seria outro. Foi eliminada pela Holanda que, como disse o craque Tostão, tem um time tão forte quanto o Brasil, e o resultado foi justo.

Prefiro a "análise" de Tostão à dos retardados jornalistas da Globo. Ele entrou em campo, ganhou e perdeu, e é uma pessoa equilibrada e sem segundas intenções.

Esta é a forma de agir da midia corporativa e dos complexados jornalistas brasileiros comandados por meia dúzia de familias. Seus interesses em primeiro lugar, nem que suas acusações possam colocar em risco a integridade de um jogador de futebol. Afinal Felipe Melo é um homem que, ao que tudo indica, como profissional, entrou em campo com o mesmo objetivo que os demais: vencer a partida.

O episódio do desentendimento de Dunga com a Globo foi o inicio das retaliações e, com elas, ficou escancarada a falta de caráter da emissora dos Marinho. Torceram contra o Brasil visando a derrubada de Dunga. E agora?

Agora as forças retrógradas, pelas mãos de seus jornalistas canalhas, farão tudo para manter o poder politico que perderam; a influência na República que tinham desde Cabral. Às vesperas da eleição presidencial, que aponta para vitória arrasadora do Partido dos Trabalhadores, serão capazes de manipular a verdade, como sempre fizeram, como acabaram de fazer com Felipe Melo e Dunga.

Cabe a nós, povão, mostrar o quanto temos maturidade para formar nossa opinião de forma independente, sem acreditar na "verdade" que pertence aos "analistas" criminosos .

***

1 de jul de 2010

O CAOS TUCANO.

***


Ontem este blog fez uma piada com a indicação de Indio da Costa para a vaga de vice na chapa da oposição. Mas a situaçao é mais grave do que parece.

A chapa PSDB-DEM-PPS-PTB mostrou-se truculenta e autoritária no episódio da indicação de Indio. Membros de todos os partidos sairam atirando contra eles mesmos, uns falando mal dos outros.

Roberto Jefferson (PTB) disse que o DEM é uma merda; Ronaldo Caiado (DEM) disparou: O poder de Serra de desorganizar as coisas é fora do comum; a vereadora Andréa Gouveia Vieira (PSDB-RJ) acusou: escolheram um ficha-suja para vice de Serra.

Tudo isso diante daquele que disse ter se preparado a vida toda para ser Presidente da República do Brasil. Se ele pensa que a preparação pode ser feita com uma turma como essa, melhor teria sido preparar-se para ser sindico do prédio onde mora!

O que espanta, na postura dos membros da coligação da direita, é a falta de planejamento politico. Nenhum deles pensa antes de agir. Cada um se sente independente – e suficientemente capaz – para tomar atitudes que visam, apenas, sua sobrevivência politica. Entretanto, a vida pública de um eleito só existe por causa da agremiação, ou partido politico, que ele representa. Um homem público não é nada sem apoios.

A isso chamei de amadorismo no post anterior. Ao total desrespeito com seu eleitor, aquele que acreditou que Serra havia preparado sua vida para chegar ao cargo mais elevado da República.

O que se compreende dos gestos da oposição é nitidamente esclarecedor. Atropelam a opinião pública com uma composição heterogênea de homens e partidos, com única finalidade de retomar o poder. De certo, esperam que as forças conservadoras, que sempre os apoiaram, continuem derramando contribuições generosas para suas campanhas; acreditam que só com o dinheiro são capazes de convencer o eleitor.

É um erro infantil. Nem a midia corporativa consegue maquiar suas trapalhadas. A viuva de Roberto Marinho, por exemplo, prepara uma recepção à candidata Dilma Rousseff em sua residência, num claro sinal de que parte da elite econômica brasileira começa a abandonar a barca furada tucana. Alguns jornalões comprometidos até o pescoço com a direita, também, apontam os erros que Serra e sua trupe andam cometendo; apesar de tantas demosntrações de desagrado, a oposição afunda cada vez mais e não parece inteligente o bastante para mudar de postura.

Seria pedir demais à oposição para que apresente uma proposta concreta para o futuro do Brasil e dos brasileiros, agora que conhecemos o que a esquerda fez? Fatalmente, ao compararmos as ações do governo Lula do PT com todos os ex-Presidentes, teremos a clara noção daquilo que eles deixaram de fazer. Porisso eles precisam mudar. Para o bem do Brasil.

Já disse neste blog que, para a democracia, uma oposição deste nivel é perigosa. Tivessemos debates de ideias e de programas, caminhariamos para o amadurecimento politico tão necerssário para nossa jovem Nação.

***