25 de out de 2010

Quem quer dividir o país?

***
A quem interessa, e qual a finalidade de 
dividir o Brasil em ricos e pobres?

Parece muito nítido que à direita lhe é mais importante um país recortado, como sempre foi, aliás. A desigualdade foi a marca de nossa latinidade tropical.

Os currais eleitorais, o voto de cabresto, a troca de votos por um punhado de comida era prática costumeira em época eleitoral, quando "donos da cidade" diziam em quem o eleitor deveria votar. Os votos nas urnas eram apenas checados para se ter a confirmação de que o candidato do Coronel foi eleito.

A elite econômica brasileira sempre esteve no Governo Federal, no centro das decisões mais importantes da Nação; as políticas econômicas que eram praticadas nunca visavam o bem-estar da coletividade, mas de uma pequena parcela da sociedade, a mais abastada e, portanto, com maior influência política.

Até 2002, quando elegemos um operário para o cargo máximo da República.

E os interesses começaram a surgir. Milhões de cidadãos antes sem voz, passaram a ter representatividade e tornaram-se o centro das decisões políticas e econômicas do Governo Federal. Miseráveis passaram a deixar de ser miseráveis; pobres ascenderam às classes médias; o relacionamento externo brasileiro voltou-se à busca de parceiros que pudessem fazer crescer o comércio externo. Enfim, o governo Lula "descobriu" a fórmula do crescimento com distribuição de renda, nunca antes praticada neste país.

A direita não concorda com as politicas econômicas, sociais e externa do Brasil de hoje. Os partidos da aliança tucana não aceitam o diálogo com Nações como Venezuela e Irã, nem concordam que formemos um bloco comercial com a China e outros emergentes, nossos maiores parceiros atuais. A direita prefere que continuemos ajoelhados perante os Estados Unidos e que façamos a guerra contra vizinhos latinoamericanos.

Para o candidato José Serra - que faz questão de se dizer do bem* - a elite precisa retornar ao poder com urgência, sob pena de perder o direito a decidir os rumos que o país deve seguir. Os rumos que serão escolhidos pelos eleitores no próximo domingo, 31.

Abaixo, um recorte do Folha.com que exemplifica perfeitamente o antipetismo criado e difundido pela direita; a sensação que prevalece na elite é que o que deve ser feito obrigatoriamente deverá passar pelas decisões da própria elite, como diz o professor João Francisco Sauwen Filho, na matéria da jornalista Laura Capriglione. Clique na imagem abaixo para ler a matéria completa.

Aos tucanos interessa repartir o Brasil entre ricos e pobres; entre quem tem direitos e quem tem obrigações; entre quem pode e quem não pode.

O PSDB quer dividir o Brasil em duas categorias bem distintas: quem manda e quem obedece!

***

* Na propaganda de TV Serra insiste em repetir que é do bem. Você, leitor deste blog sujo, conhece alguém do bem que precisa dizer a todos que é do bem? Quem quer te convencer apenas com palavras, em geral, são as pessoas do MAL.

***

Um comentário:

Paulo disse...

Júlio, acabei de receber um email e fiquei indignado, mostrando os pais de um militar que morreu num atendando a bomba e a Dilma estava junto com o guerrilheiros,..Realmente isso me assustou, sabemos como era a época da ditadura...Além de desinformar o povo eles estao tentando acusar a Dilma de assassina, o Serra esta indo longe de mais, colocar gente na internet pra divulgar o nome dos pais do pobre militar, eles colocam desde quando nasceu um menino simples e humilde, de familia trabalhadora, de gente boa, que ele era muito bonzinho e otimo filho, e que os pais acusam Dilma de assassina, UM ABSURDO IRMÂO...desculpa usar esse espaço que nem deve ser pertinente ao seu artigo, mas acho que o povo tem que ver que esse cicadao esta disposto a TUDO para entrar....acho que tudo tem limites, o Serra certamente era contra os militares, e esta colaborando com o o esquecimento da historia, por favor mano Julio faça um artigo sobre isso....

vou te mandar o e-mail com esse absurdo

Seu irmao
Paulo Pegna